Ásia e Europa lideram ICO’s

Ásia e Europa lideram ICO’s

A arrecadação de fundos na área de criptomoedas, que sempre ocorreu em grande parte nas Américas, passou a ocorrer na Europa, Oriente Médio e África (EMEA) e regiões da Ásia-Pacífico (APAC), segundo um relatório recente da empresa de auditoria Big Four PwC.

De acordo com o 2º Global Crypto M&A e o Relatório da PwC, as tentativas de captação de fundos na área de criptografia obtiveram 18% menos recursos, enquanto os fundos em fusões e aquisições (M&A) na área diminuíram 40%, durante o ano de 2019.

Enquanto o financiamento diminuía, a participação nas frações da APAC e a EMEA aumentaram. Em 2018, a APAC e a EMEA viram cerca de 44% do valor combinado de captação de recursos e negócios de fusões e aquisições, e no ano de 2019, esse percentual chegou a cerca de 51%.

Mas o lucro não ocorreu para todos. Nas Américas, a participação no valor combinado de captação de recursos e operações de fusões e aquisições caiu de 55% para 48%, no mesmo período em que as da APAC e EMEA aumentaram.

Com tais dados, é possível afirmar que a diminuição no número de recursos da área de criptografia foi mais forte nas Américas do que em outros locais.

Diante disso, a tendência é que a APAC e EMEA cresçam ainda mais. É esperado pela PwC, que a mudança das Américas para as regiões da Europa, Oriente Médio e África (EMEA) e regiões da Ásia-Pacífico (APAC), continue ao longo do ano.

PwC declara que: “2019 viram a APAC e a EMEA desempenharem um papel maior no espaço global de fusões e aquisições e criptografia. Esperamos que essa tendência continue em 2020. Em particular, esperamos ver mais atividades dos escritórios familiares da APAC e da EMEA, observando a turbulência do mercado como um bom momento para entrar no mercado.”

Em resumo, pode-se dizer que a PwC alega que o setor de criptomoedas seguiu o ano de 2019 amadurecendo e crescendo, à medida que os recursos passaram a mudar para empresas de estágio superior. Em 2018, as empresas em estágio inicial arrecadaram cerca de 71% dos fundos, enquanto em 2019, empresas do mesmo estágio receberam apenas 59%.

Ásia e Europa lideram ICO’s

De acordo com os dados da Pwc, é possível afirmar que os financiamentos para startups de criptografia não apenas estão terminando, como também os recursos designados às startups em estágio inicial. Conforme relatado no final de 2019, após o financiamento na área chegar á um pico de de US$ 5,5 bilhões em 2019, menos de US$ 3 bilhões foram para o ramo de criptomoedas.

Veja mais em ICOs e Investimentos

Compartilhe este post

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.