Cellebrite lança solução Crypto Tracer para rastrear transações ilícitas

Cellebrite lança solução Crypto Tracer para rastrear transações ilícitas

A empresa de inteligência digital Cellebrite lançou sua solução “Cellebrite Crypto Tracer”. O novo projeto é desenvolvido pelo CypherTrace e visa rastrear criptomoedas ilícitas envolvidas em lavagem de dinheiro, terrorismo, drogas, tráfico de seres humanos, venda de armas e esquemas de ransomware.

Além disso, o conjunto de ferramentas estará disponível para investigadores, analistas e agentes não técnicos que desejam obter legalmente evidências e rastrear criminosos que usam criptomoedas como Bitcoin (BTC) através da darknet. De acordo com números de um estudo da Universidade de Oxford, a Cellebrite afirma que aproximadamente US$ 76 bilhões em atividades ilegais envolvem Bitcoin.

Rastreando transações

Resultando em um conjunto de dados de mais de 522 milhões de pontos atribuíveis, a solução Cellebrite Crypto Tracer permite que os investigadores agreguem e selecionem milhões de referências de código aberto e privadas, dados de engano e inteligência humana.

O diretor de estratégia da Cellebrite, Leeor Ben-Peretz, afirmou que o Cellebrite Crypto Tracer pode atribuir milhões de pontos de dados. Tais como: tipo de conta, correntistas, tipos de contrato, proprietários de contrato e outros metadados. Além disso, também pode identificar para onde os fundos ilícitos foram encaminhados, seja uma carteira ou uma exchange.

Em entrevista, Ben-Peretz disse:

“Algumas das principais características da solução incluem a capacidade de realizar a pontuação de riscos. E, o perfil de centenas de trocas globais, caixas eletrônicos, misturadores, sistemas de lavagem de dinheiro, serviços de jogos de azar e endereços criminais conhecidos e atribuir níveis de risco às transações.”

Crypto Tracer contra transações ilícitas de criptomoedas

O analista financeiro chefe do CypherTrace, John Jefferies, acredita que à medida que as criptomoedas se tornarem mais populares e aceitas pelas instituições financeiras tradicionais, os criminosos também as adotarão mais amplamente, criando um “jogo contínuo e crescente de gato e rato”.

Jefferies argumentou:

“À medida que a capitalização de mercado das criptomoedas crescem, crimes financeiros se tornam maiores em escala de estado-nação. Assim, a reforma regulatória, impulsionada pelas diretrizes atualizadas do GAFI, forçará a arbitragem de jurisdição. Mas à medida que novas leis forem promulgadas, globalmente em prazos não sincronizados.”

Então, Jefferies dirigiu-se ao recente incidente de hackers no Twitter. E afirmou acreditar que a situação poderia ter sido “muito pior e mostra que a comunidade blockchain está se adaptando aos golpistas”. Jefferies concluiu dizendo:

“Quando as criptomoedas surgiram pela primeira vez, as agências policiais tinham muito pouco entendimento sobre como as criptomoedas funcionam e que as transações podem ser rastreadas nos livros públicos. A situação é muito diferente hoje. Estamos trabalhando em estreita colaboração com as agências policiais no recente golpe de bitcoin de hackers no Twitter, por exemplo.”

Veja mais: Criptomoedas | Notícias

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário