YouTube e Mailchimp banindo contas de criptomoedas

YouTube e Mailchimp banindo contas de criptomoedas

A política de proibições na área de criptomoeda continua no YouTube e Mailchimp. Mailchimp suspendeu temporariamente a conta do Blockchain Education Network, ou BEN, uma organização sem fins lucrativos, por supostas desobediências de seus termos de uso.

A razão da suspensão da conta da Blockchain Education Network se deve ao uso inadequado notado pela a ferramenta de verificação automatizada do sistema. O Mailchimp proíbe veemente a propaganda de moedas ou ICOs no portal.

A Blockchain Education Network argumenta que não promove ICOs de nenhuma maneira e notou que essa proibição também se entende à uma restrição parecida do YouTube.

O YouTube interrompeu a transmissão ao vivo da BEN, justificando que o conteúdo do vídeo era contra as diretrizes da comunidade. O conteúdo do vídeo transmitido até então era relativo à iniciativa de caridade do The Giving Block.

O BEN é uma ONG que interliga estudantes que possuem interesse na área de blockchain. O serviço é aberto para usuários de todo o mundo e tem como finalidade fornecer suporte aos clubes estudantis de blockchain, organizar programas de organização, dentre outras atividades de desenvolvimento da área.

Erick Pinos, fundador da ONG BEN, apontou que a conta suspensa atualmente é a segunda conta da organização. O perfil inicial foi suspenso definitivamente em 2017 e ainda permanece bloqueado para uso. O chamado aberto para o YouTube devido à interrupção do vídeo não foi respondido por aproximadamente uma semana.

Proteção ou restrição?

Muitas das suspensões e bloqueios feitos pelo YouTube e Mailchimp foram denunciadas como fraude, e ambas argumentam que esta é a melhor maneira de proteger os usuários. Entretanto, no fim de 2018, o financiamento da ICO quase acabou por completo.

No final do ano de 2019, o YouTube renovou suas restrições de “banimento de criptos”. E no início deste ano, diversos influenciadores tiveram suas contas suspensas sem avisos prévios. Mesmo que existam opções descentralizadas, elas são bem menos populares entre os usuários comuns.

Para a BEN, as proibições automáticas foram totalmente revertidas, mas acontecimentos deste tipo demonstram o preconceito contra a indústria de criptomoeda.

Veja mais em: Criptomoedas

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário