Visa adquire fintech Plaid e é investigada pelo DoJ

Visa adquire fintech Plaid e é investigada pelo DoJ

O Departamento de Justiça dos EUA, ou DoJ, recentemente publicou uma investigação sobre a aquisição em andamento da empresa de fintech Plaid pela Visa. Em um comunicado público o DoJ disse:

“Hoje, o Departamento de Justiça entrou com uma petição no Tribunal Distrital dos EUA para o Distrito de Massachusetts para impor a conformidade da Bain & Company com a Demanda de Investigação Civil (CID) do departamento.”

Essencialmente, as autoridades dos EUA tomaram medidas legais para obter informações da gigante de consultoria Bain & Company com sede em Boston sobre a aquisição da Plaid pela Visa.

“Em 11 de junho de 2020, a divisão emitiu à Bain um CID exigindo que a empresa respondesse aos interrogatórios e produzisse material documental, incluindo documentos que discutem a estratégia de preços da Visa e a competição com outras redes de cartão de débito que podem ser importantes para a análise da divisão da aquisição proposta efeitos. A petição alega que a Bain se recusou a apresentar esses documentos, alegando um privilégio aparentemente geral sobre quase todos eles.”

A gigante de pagamentos e provedora de cartão de crédito Visa revelou sua aquisição Plaid de US$ 5,3 bilhões em 13 de janeiro. A vida financeira dos cidadãos muitas vezes exige uma série de aplicativos ou plataformas, incontáveis ​​transações e informações isoladas. O Plaid teve como objetivo fazer a ponte entre essas plataformas e suas informações envolvidas. A declaração do DoJ diz:

“Conforme alegado na petição, a Bain, uma empresa de consultoria, reteve documentos importantes exigidos pelo CID, alegando alegações de privilégio não comprovadas sobre os documentos, impedindo assim a investigação da Divisão Antitruste.”

Makan Delrahim, advogado assistente da Divisão de Antitruste, observou a importância de terceiros fornecerem informações pertinentes às autoridades. Delrahim disse:

“Muitas vezes, terceiros procuram ignorar esses requisitos.”

A ação representa um jogo de responsabilização, mantendo a Bain em linha com as expectativas regulatórias, ao mesmo tempo que busca detalhes urgentes em torno de sua investigação.

No início deste ano, após o anúncio da aquisição, a Plaid enfrentou pelo menos dois processos judiciais. O primeiro surgiu em junho, alegando que a Plaid usava as informações dos clientes para seu próprio benefício. A segunda ação legal saiu em julho, alegando violação dos requisitos de privacidade.

Veja mais em: Notícias

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário