Início»Criptomoedas»Bitcoin»Argentina bate recorde de negociações P2P Bitcoin

Argentina bate recorde de negociações P2P Bitcoin

19
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Argentina batem recorde de negociações P2P Bitcoin e país já está entre os que mais negocia criptomoedas, seguido por Venezuela e Egito.

Anúncio

A Plataforma de negociação peer-to-peer (P2P) LocalBitcoins bateu o recorde de volumes de negociação Bitcoin na Argentina, Venezuela e Egito durante o mês de outubro. Outros países como a Croácia e a Suíça, os volumes de transações atingiram mínimos anuais.

Argentina batem recorde de negociações P2P Bitcoin: Venezuela e Egito não ficam para trás

Embora receba consideravelmente menos atenção do público do que a Venezuela , a Argentina está passando por sua própria crise econômica. A moeda nacional da Argentina, o peso, está em grave declínio desde abril. A incerteza econômica está levando muitos argentinos a investir sua riqueza restante em Bitcoin para proteção.

Enquanto isso, o Banco Central da República Argentina(BCRA), o banco nacional do país, começou a relaxar a regulação da criptomoeda. Desde maio, o BCRA aprovou uma proposta para permitir a instalação de 4.000 novos caixas eletrônicos de criptomoedas (com projeções de outros 26 mil ainda por vir) a serem instalados em todo o país, em lugares como supermercados, shopping centers e cinemas. Novas regulamentações também permitiram que empresas independentes de criptomoedas entrassem no mercado. Tudo isso, combinado com o rápido aumento do número de comerciantes que aceitam o Bitcoin como pagamento, levou a um espantoso boom no volume de negociações.

O gráfico mostra que os volumes de negociação da Argentina subiram muito além dos recordes, atingindo quase US $ 9 milhões em volume de negociações na LocalBitcoins.

Argentina batem recorde de negociações P2P Bitcoin
Argentina batem recorde de negociações P2P Bitcoin

A Argentina, no entanto, continua a lutar em face de um potencial colapso econômico. O Fundo Monetário Internacional (FMI) concordou recentemente com um acordo com o governo argentino para oferecer apoio financeiro adicional.

Leia Também:  Petro: Venezuela lança pré-venda da criptomoeda nacional financiada pelo petróleo

Já na Venezuela, o volume de negócios de Bitcoins continua a crescer a uma taxa exponencial. Tragicamente, a adoção das criptomedas pela população venezuelana surge por necessidade após o colapso histórico do bolívar venezuelano. O governo federal corrupto do país fez sua própria tentativa de lançar uma criptomoeda nacional, a Petro. No entanto, relatos no local sugerem que há pouco ou nenhum apoio da população para a criptomoeda governamental.

Curiosamente, o Bitcoin não está nem perto de ser a criptomoeda mais popular na Venezuela. Um relatório de julho revelou que a a Dash havia se tornado tão popular na Venezuela que sua adoção total superava em número a de todas as outras criptomoedas combinadas.

O volume de negócios do Bitcoin está crescendo em toda a América do Sul e Central; lugares como o Chile, Colômbia e o México mostram números acima da média para 2018.

Voltando nossa atenção para o resto do mundo, as reformas financeiras benéficas do governo egípcio parecem estar liberando fundos dos investidores para as criptomoedas. Os dados de Coin Dance mostram que os egípcios já trocaram mais de um milhão de libras egípcias por Bitcoin. Felizmente, o Egito não enfrenta ameaças de desaceleração econômica.

Finalmente, a Europa, como o resto do mundo ocidental, continua a registar quedas significativas nos volumes de negociações desde o boom do mercado no final de 2017. Os dados da Coin Dance revelam que a Croácia e a Suíça atingiram o mais baixos nível de volume de negociação em outubro.

Traduzido e Adaptado: Unhashed

Siga-nos nas redes sociais
Canal no Telegram Siga-nos no Facebook Acompanhe nosso Twitter Siga-nos no Instaram
Artigo anterior

Site Fraudulento Usou Imagem da Nova Zelândia para Promover Esquema de investimento com Bitcoin

Próximo artigo

Cada vez mais empresas financeiras estão usando a xRapid da Ripple

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.