Autoridades russas deverão declarar criptomoedas em 2021

Autoridades russas deverão declarar criptomoedas em 2021

Os funcionários públicos da Rússia serão obrigados a declarar todos os ativos criptográficos privados a partir do primeiro dia do ano de 2021.

Os requisitos foram anunciados em 20 de outubro pelo gabinete do procurador-geral russo, Igor Krasnov, após uma reunião com 15 procuradores-gerais que representam os estados membros da Organização de Cooperação de Xangai (SCO). Krasnov disse:

“A partir do próximo ano, os funcionários públicos serão obrigados a declarar moedas virtuais em bases iguais a outros ativos.”

Em 2018, o ministério do trabalho da Rússia anunciou que os funcionários públicos não precisariam declarar os ativos virtuais em seus relatórios fiscais devido ao status não regulamentado de criptomoedas. Contudo, persistem preocupações de que os ativos criptográficos possam ser o instrumento financeiro de escolha para suborno e corrupções.

Nos últimos três anos, o Gabinete do Procurador-Geral afirma ter confiscado mais de US$ 440 milhões em ativos não divulgados de funcionários públicos.

Os novos requisitos seguem as novas leis assinadas pelo presidente Vladimir Putin em julho, que classificarão os ativos criptográficos como semelhantes a commodities físicas de 2021 – reconhecendo moedas virtuais no país pela primeira vez.

Embora as leis não reconheçam as criptomoedas como moeda legal, elas irão legitimar as atividades relacionadas à criptomoedas em toda a Rússia.

Ao lado dos estados membros da SCO Rússia, Índia, Cazaquistão, China, Quirguistão, Paquistão, Uzbequistão e Tadjiquistão, os promotores gerais do Afeganistão, Bielo-Rússia, Mongólia, Irã, Azerbaijão, Camboja e Armênia – que são parceiros não-membros e Estados observadores a SCO – também estiveram presentes na reunião. O encontro centrou-se no tema do combate à corrupção.

O anúncio russo sobre, sugere que leis semelhantes possam ser promulgadas em breve na região da Eurásia.

Em agosto, o Serviço Federal de Monitoramento Financeiro da Rússia alegou que havia desenvolvido uma maneira de desanimar “parcialmente” as transações usando Bitcoin (BTC), Ethereum (ETH) e a popular moeda de privacidade Monero (XMR). A agência também observou que vários “países estrangeiros também demonstraram interesse no sistema”, sugerindo que está procurando vender o sistema para nações aliadas.

Veja mais em: Criptomoedas | Informação | Notícias

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário