B.Protocol anuncia plataforma v2 para liquidações DeFi

B.Protocol anuncia plataforma v2 para liquidações DeFi

O B.Protocol, serviço de finanças descentralizadas (DeFi), anunciou planos para uma nova versão que irá melhorar a liquidação de posições de empréstimos não garantidos em plataformas de empréstimos.

Em um comunicado, o protocolo de liquidez de backstop para plataformas de empréstimos DeFi revelou que a próxima v2 é baseada em um white paper para um novo criador de mercado automatizado Backstop (B.AMM) escrito por alguns membros anônimos da comunidade.

De acordo com uma postagem no blog publicada pelo fundador da B.Protocol, Yaron Velner, o projeto v1 que utilizava liquidantes profissionais para dividir os lucros com os usuários em vez dos mineradores não era suficiente para resolver o problema de ineficiência de capital.

Ao contrário das exchanges centralizadas como a Binance, que oferecem negociação alavancada de até 100 vezes os depósitos do usuário, a taxa de alavancagem nas exchanges descentralizadas (DEX) raramente ultrapassa cinco vezes. Este limite de alavancagem significativamente mais baixo ocorre apesar da enorme reserva de liquidez disponível para plataformas DEX.

Para Velner e os autores do white paper da B.AMM, a questão do alto deslizamento em DEXes força as plataformas de empréstimo a serem conservadoras com seus fatores de garantia de empréstimo. De fato, com alta derrapagem e spreads apertados em AMMs como Uniswap e SushiSwap, a liquidação em plataformas de empréstimos DeFi parece restrita à arbitragem de empréstimos instantâneos.

As plataformas de empréstimos DeFi, como o Maker, utilizam um sistema de market-maker-keeper (ou detentores) responsável por, entre outras funções, executar liquidações. Esses guardiões têm sido o foco do escrutínio durante os eventos do cisne negro, como a Quinta-feira Negra em março de 2020.

No entanto, os mecanismos de liquidação DeFi geralmente tiveram um bom desempenho em meio a um “tsunami de liquidações”.

A solução do B.Protocol para o problema está na forma de uma plataforma que permite aos usuários fornecer liquidez para possíveis liquidações – reembolso da dívida em troca de garantias – por meio de um protocolo de rebalanceamento automático que converte a garantia em reembolso da dívida.

De acordo com Velner e o white paper da B.AMM, o processo de rebalanceamento será baseado na invariante de swap estável da Curve Finance para precificação de ativos. Enquanto a invariante de swap estável é projetada para pares de ativos correlacionados como Dai (DAI) e Tether (USDT), B.Protocol v2 irá expandi-la para pares não correlacionados como DAI e Ether (ETH).

Velner explicou como o invariante de swap estável será expandido para funcionar para pares de ativos não correlacionados no B.Protocol v2. Ele disse:

“O sistema é projetado especificamente para ativos não correlacionados. Isso é possível porque o sistema depende de um feed de preço externo – por exemplo, Chainlink. A invariante de swap estável da Curve Finance é usada apenas para determinar o desconto no processo de rebalanceamento.”

Ao usar um feed de preço externo como o Chainlink, o preço do ativo B.Protocol pode ser generalizado em termos de dólares americanos. De acordo com o white paper da B.AMM, a plataforma de liquidação DeFi de alta alavancagem proposta pode lidar com a liquidação de até US$1 bilhão por mês. Além disso, o comunicado também revelou que as plataformas de empréstimos DeFi podem aumentar seus fatores colaterais em até quatro vezes no B .Protocol v2.

Além do potencial para aumentar os fatores colaterais para empréstimos DeFi, Velner também disse que a equipe fez simulações no protocolo durante os períodos voláteis de maio, com os resultados mostrando rendimentos substanciais para os usuários.

Veja mais em: Notícias

Compartilhe este post

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.