Polícia apreende US$ 91 milhões de operador de câmbio de Bitcoin

Polícia apreende US$ 91 milhões de operador de câmbio de Bitcoin

Vinnik é o suposto proprietário da exchange BTC-e em colapso. Os fundos foram capturados em contas bancárias mantidas pela Canton Business Corporation, uma empresa registrada na Nova Zelândia que administra a exchange.

A polícia disse na segunda-feira que é a maior apreensão da história da força. Vinnik é acusado pelos promotores norte-americanos de lavar bilhões de dólares por sindicatos criminosos por meio da plataforma. Ele nega as acusações.

Ele foi preso na Grécia em 2017 enquanto passava férias com sua família sob ordens de extradição dos EUA. Mais tarde, Vinnik foi extraditado para a França, onde permanece na prisão.

O comissário de polícia da Nova Zelândia, Andrew Carter, disse que os fundos apreendidos “provavelmente refletirão o lucro obtido com a vitimização de milhares, senão centenas de milhares, de pessoas em todo o mundo como resultado de crimes cibernéticos e crime organizado”.

Carter alegou que a exchange de Bitcoin operava sem controles e políticas contra a lavagem de dinheiro, permitindo que criminosos lavassem fundos ilícitos por meio da plataforma.

Ele acrescentou que a polícia da Nova Zelândia trabalhou em estreita colaboração com a Receita Federal dos EUA (IRS) “para lidar com esta ofensa muito séria”. A polícia está planejando uma solicitação ao Supremo Tribunal para perder os recursos apreendidos.

Na França, Vinnik é acusado de lavagem de dinheiro agravada, extorsão, conspiração e manipulação de dados. Quando seu caso terminar na França, ele deverá ser enviado de volta à Grécia, depois aos EUA e, posteriormente, à Rússia.

Traduzido e adaptado de: news.bitcoin.com

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário