Início»Criptomoedas»Bitcoin»Bitcoin vs China: Quem ganha essa guerra?

Bitcoin vs China: Quem ganha essa guerra?

9
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O Bitcoin teve uma corrida fantástica no ano passado, mas a diversão só durou até janeiro de 2018, quando uma variedade de fatores contribuiu para a queda massiva do Bitcoin. Temores de regulamentação em vários mercados foram frequentemente citados como a principal razão para a queda da Bitcoin em relação aos consumidores. A China foi um dos mercados mais importantes a impor regras estritas relacionadas a Bitcoin e criptomoedas, incluindo a proibição de comercializar a moeda mais popular do mundo. Agora parece que a China pode ter ajudado a dizimar o Bitcoin, e o país parece muito feliz consigo mesmo.

Anúncio

Estamos no início de julho e o Bitcoin está se recuperando depois de ter atingido novas mínimas há apenas algumas semanas. Preocupações com regulamentações e hackers nas exchanges não são as únicas explicações para a contínua desaceleração das criptomoedas. A manipulação do mercado emergiu como uma razão potencial para os altos e baixos do Bitcoin, embora leve algum tempo para que essas alegações sejam suficientemente comprovadas.

Em meio a tudo isso, a Xinhua.net, de língua chinesa, divulgou um relatório no sábado divulgando novos dados do banco central da China sobre as criptomoedas no país. O comércio de bitcoin na China caiu para menos de 1% do total mundial, abaixo do pico de mais de 90%, segundo o banco.

Leia Também:  Urgente: SEC adia decisão sobre ETF de Bitcoin

A China proibiu ofertas iniciais de moeda (ICOs) em setembro passado, bem como negociações diretas entre o RMB e a moeda virtual. O banco diz que o país garantiu uma “saída de risco zero” para 88 bolsas e 85 ICOs. Embora algumas exchanges e ICOs tenham conseguido se deslocar para países amigos da criptos e continuar seus negócios, não ser capaz de negociar fiat por criptomoedas foi um grande golpe para a maioria dos comerciantes chineses. Os esforços locais de mineração também foram prejudicados no processo.

O preço do bitcoin continuou a subir em setembro de 2017, apesar das más notícias da China, indo para quase US $ 20 mil no final de dezembro. Mas o relatório do banco sugere que as proibições da China à criptomoedas podem ter tido um efeito mais duradouro do que se acreditava inicialmente. Em menos de um ano, a China conseguiu reduzir significativamente o comércio de Bitcoin no país e em todo o mundo, o que deve ter tido impacto em todo o mercado de criptos.

No momento da redação deste artigo, o Bitcoin estava sendo negociado em torno de US$ 6.800, bem acima dos novos mínimos. Mas isso não significa nada no mercado de criptos, onde grandes oscilações de preços podem ocorrer a qualquer momento, sem aviso prévio.

Siga-nos nas redes sociais
Canal no Telegram Siga-nos no Facebook Acompanhe nosso Twitter Siga-nos no Instaram
Artigo anterior

Binance doa US$ 1 milhão para as vítimas das inundações no Japão

Próximo artigo

Bitcoin falhará à medida que os governos aumentarem o regulamento

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.