Blockchain para melhorar o desembaraço aduaneiro

Blockchain para melhorar o desembaraço aduaneiro

A startup de tecnologia, MVC Global, que tem sede em Bahrein, juntamente com a Cox Logistics Groups, irão realizar lançamento do chamado armazém de logística SmartHub, que tem o objetivo de aprimorar a distribuição de suprimentos farmacêuticos no Conselho de Cooperação do Golfo.

Essa plataforma irá disponibilizar sensores Track & Trace e loT integrados, e um recurso SmartPass, com foco em promover a conformidade com liberações alfandegárias. No entanto, a plataforma também poderá ser utilização para financiamento da cadeia de suprimentos e acordos de pagamentos internacionais pelos usuários.

O SmartHub, de acordo com os criadores, possibilita a agilidade e eficácia da distribuição de gêneros alimentícios e produtos médicos na região, diminuindo o tempo dos trabalhos burocráticos e administrativos.

Tornando Bahrein em um centro de tecnologia

O diretor de investimentos do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Bahrein (EBD), Husain Rajab, declarou:

“O projeto visa construir a infraestrutura digital de classe mundial do Bahrein, o que permitiria ao Reino se tornar um importante centro logístico regional”.

Desde o final do ano passado, o programa do EBD vem mostrado interesse em levar uma maior quantidade de startups de tecnologia financeira ao país. Em novembro, o EDB compartilhou: “A estrutura reguladora pioneira, ágil e flexível do Reino permite regular tecnologias emergentes – como bancos abertos e criptomoedas – de uma maneira que outras jurisdições simplesmente não conseguem”.

Tecnologia de blockchain usada em diversas empresas mundiais

blockchain está, cada vez mais, mostrando resultados positivos para o setor de cadeia de suprimentos, em que grandes empresas mundiais estão usando a tecnologia para que os processos internos sejam aprimorados. Recentemente, a Cos, subsidiária da empresa de moda H&M, realizou parceria com plataforma de blockchain, a VeChain. O objetivo de prover dados específicos de rastreamento da cadeia de suprimentos aos clientes.

Em março, Conselho de Óleo de Palma da Malásia junto com a startup BloomBloc, criaram um aplicativo de blockchain. Assim, o aplicativo possibilita o rastreamento do óleo de palma pelo usuário, mostrando registros das arvores, além de outros dados relacionados.

Veja mais em: Blockchain

Compartilhe este post

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.