Início»Criptomoedas»Bitcoin»Na sua opinião, Blockchain poderia facilitar as fake news?

Na sua opinião, Blockchain poderia facilitar as fake news?

35
Compartilhamentos
Pinterest Google+

No mundo onde informações são usadas para manipular a opinião da massa, a Blockchain poderia facilitar as fake news?

Embora muitas pessoas usem “blockchain” como sinônimo de bitcoin, as possibilidades que essa tecnologia oferece vão muito além das criptomoedas.

Blockchain poderia facilitar as fake news?

Em sua essência, blockchain é um banco de dados descentralizado onde nada pode ser adicionado ou modificado sem o consentimento de todos os participantes.

O Publiq, que se descreve como uma fundação sem fins lucrativos, usa a tecnologia blockchain para criar um novo ambiente descentralizado para a publicação de conteúdo.

Seu objetivo é contornar a gestão centralizada do setor de mídia e dar aos autores a liberdade de publicar seu conteúdo sem qualquer intervenção externa. Como bônus, a tecnologia blockchain ajuda os autores a preservar os direitos autorais e monetizar seu trabalho.

Blockchain poderia facilitar as fake news

O Publiq é baseado em blockchain, o que significa que ninguém pode modificar o conteúdo em qualquer estágio de publicação e compartilhamento.

O Dr. Christian de Vartavan, conselheiro e embaixador global da plataforma, compara o princípio da tecnologia blockchain a um pico de contas antiquado: você acumula as contas colando-as no pico, uma por uma, e não pode remover ou modificar qualquer uma das contas anteriores, a menos que você tire tudo, o que é simplesmente impossível na blockchain.

No mundo da publicação, isso significa que é impossível fazer alterações discretas – por engano ou propositalmente – no conteúdo, uma vez publicado.

Outra característica importante da tecnologia blockchain é que o conteúdo não é armazenado em um site centralizado, onde é vulnerável a, digamos, um ataque cibernético, mas em acumuladores descentralizados, o que impossibilita qualquer modificação, porque simplesmente há muitos deles.

Segundo a Publiq, essa tecnologia tem o potencial de trazer mais transparência ao processo de publicação, uma vez que os dados sobre todos os participantes são armazenados na blockchain. Eles esperam que isso impeça os criadores de conteúdo de postarem notícias falsas, já que todas as informações sobre qualquer coisa que alguém publique serão armazenadas na blockchain. Para sempre.

Leia Também:  PRIMEIRO PAÍS A LANÇAR UMA CRIPTOMOEDA PATROCINADA PELO GOVERNO

As consequências da liberdade

Essa liberdade é uma faca de dois gumes embora. Por um lado, os autores podem publicar conteúdo que, de outra forma, seria censurado pelas autoridades – pense em denúncias sobre corrupção ou crime organizado.

No entanto, na ausência de subeditores e verificadores de fatos, tudo e qualquer coisa podem ser publicados sem a possibilidade de censurar o conteúdo, mesmo que, por exemplo, se ordenados por um juiz.

Você não pode editar erros de digitação ou erros factuais, embora a plataforma permita publicar uma atualização que será adicionada ao conteúdo original.

O Publiq espera que as “notícias falsas” sejam eliminadas pelos usuários, que podem escolher quais canais de conteúdo eles seguem e qualquer um pode verificar a qualquer momento quem postou o artigo, já que a origem das informações é armazenada na blockchain.

No entanto, ainda não está claro que incentivo há para o leitor fazer sua lição de casa e verificar o conteúdo, além de querer saber a verdade. Diversos estudos mostraram que algumas pessoas tendem a acreditar em notícias falsas mais do que em outras, e mais da metade dos leitores estão felizes em compartilhar o conteúdo que nem sequer leram.

Embora a perspectiva de uma plataforma de publicação livre de censura que dê aos autores a possibilidade de monetizar diretamente seu conteúdo seja atraente, ela ainda pode falhar em seu componente principal – o fator humano. Porque, em última análise, seus leitores humanos, não os computadores, decidem em que acreditar.

A 99cripto já publicou diversas matérias falando sobre os potencias da blockchain, além da liberdade dada ao mercado de notícias. Se você tiver interesse, poderá acessar nossa lista de publicações clicando aqui.

 

Siga-nos nas redes sociais
Canal no Telegram Siga-nos no Facebook Acompanhe nosso Twitter Siga-nos no Instaram
Artigo anterior

Desenvolvedor de Abu Dhabi considera oferecer planos para pagar imóveis usando criptomoedas

Próximo artigo

Alibabacoin anuncia o lançamento de sua carteira de criptomoedas

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.