Brasil completa seu primeiro negócio de imóveis usando Blockchain

Brasil completa seu primeiro negócio de imóveis usando Blockchain

O Brasil testemunhou seu negócio imobiliário ser completamente transacionado usando a tecnologia blockchain facilitada pela gigante de construção Cyrela e a startup Growth Tech sob um projeto denominado Notary Ledgers, especificamente projetado para permitir que os participantes solicitem e rastreiem serviços jurídicos digitalmente.

Um blockchain da IBM foi usado para a transação e, de acordo com a Growth Tech, essa tecnologia não apenas torna todo o processo mais rápido para o cliente, mas também pode reduzir os custos mensais dos escritórios de advocacia envolvidos em até 55%.

Ajude a evitar fraudes

Com sede em São Paulo, a Cyrela é vista como a maior construtora residencial e imobiliária do Brasil, quando avaliada por receita e valor de mercado, com operações em 55 cidades do Brasil e da Argentina.

Em declarações, Rafaella Carvalho, Diretora Jurídica da Cyrela, disse que a empresa tem “… a vontade de impulsionar a transformação digital no setor” e que “… estão procurando por aplicações da Blockchain para o mercado legal há algum tempo. A conclusão desta transação reforça como estamos abertos a usar a tecnologia para melhorar o ambiente de negócios imobiliários no país ”.

Brasil completa seu primeiro negócio de imóveis usando Blockchain
Brasil completa seu primeiro negócio de imóveis usando Blockchain.

Para facilitar a transação, a Cyrela colaborou com a Growth Tech, que opera dentro do ambiente legal e procura abrir caminho através do complexo labirinto de legislação, regulamentação e conformidade, fornecendo soluções baseadas em tecnologia.

Hugo Pierre, CEO da Growth Tech, disse que acreditava que os cartórios brasileiros precisavam migrar para um serviço baseado em blockchain porque “Um documento assinado digitalmente em nossa plataforma terá a mesma validade que um contrato assinado manualmente em um notário físico. as validações também são feitas por um notário público na Notary Ledgers Network ”.

Segundo Pierre, tal medida “ajudaria a prevenir fraudes e a melhorar o tempo de entrega dos serviços”.

O Brasil já havia sido identificado como um país que se beneficiaria do desenvolvimento de uma plataforma imobiliária baseada em blockchain que permitiria que legaltechs como a Growth Tech prosperassem e em 2017 a Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs (AB2L) foi fundada para conectar jogadores-chave como fintechs, departamentos jurídicos e solicitadores.

Com cerca de 140 membros, a AB2L está procurando ativamente aproveitar os contratos inteligentes baseados em blockchain e automação para melhorar o gerenciamento da documentação legal.

Elementos da estrutura política do Brasil parecem estar em alinhamento com os objetivos da AB2L e, no mês passado, um projeto de política, chamado Provisão Digital de Serviços Públicos na Administração Pública – Governo Digital, foi feito para implementar o uso de tecnologias de IA e blockchain no setor público.

Traduzido e adaptado de: icoexaminer.com

Deixe um comentário