Cofundador da OneCoin foge de 90 anos de prisão

Cofundador da OneCoin foge de 90 anos de prisão

O cofundador do OneCoin, Konstantin Ignatov, enfrentou até 90 anos de prisão após se declarar culpado em novembro de 2019. No entanto, atualmente, de acordo com um relatório do Finance Magnates, parece que Ignotov não é mais um dos principais réus; em ações judiciais movidas por vítimas do golpe de US$ 4 bilhões. Os investidores da OneCoin que representam os demandantes Donald Berdeaux e Christine Grablis concordaram em um acordo com Ignatov.

Contudo, os detalhes do acordo judicial permaneçam sigilosos. Além disso, os documentos judiciais indicam que o caso continuará tendo como alvo outra figura importante da OneCoin – a irmã de Ignatov e parceira de negócios, Ruja Ignatova. Ela desapareceu em 2017, após um mandado secreto dos EUA ser apresentado para sua prisão. Ao representar todos os investidores que sofreram grandes perdas financeiras no golpe de US$ 4 bilhões, Berdeaux e Grablis disseram que ainda “não estão impedindo de forma alguma” processos adicionais contra outros réus.

Então, em abril de 2020, um juiz do tribunal dos EUA advertiu os demandantes que a ação coletiva poderia ser arquivada; a menos que eles apresentassem bons motivos para não fazê-lo. Anteriormente, o Tribunal do Distrito Sul de Nova York também adiou a sentença de Ignatov por três meses a pedido do governo dos EUA.

Embora as razões exatas para resolver o caso não estejam claras até agora, Ignatov é conhecido por falar contra sua irmã desaparecida. Em novembro de 2019, Ignatov revelou que ela obteve um passaporte e passagens para a Áustria e a Grécia de sua casa na Bulgária; antes de desaparecer em 2017. Além disso, supostamente, Ignatov também teria contratado um investigador particular para encontrar Ignatova, mas ele afirma não ter falado com ela desde seu desaparecimento.

O regulador financeiro do Reino Unido, a Autoridade de Conduta Financeira, removeu um aviso de fraude sobre o OneCoin, após pressão dos advogados do projeto. No início de julho, dois promotores do esquema de saída de criptomoedas de US$ 4 bilhões foram encontrados mortos no México.

Veja mais: Notícias

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário