Coreia do Norte supostamente estaria usando criptomoedas para fugir de sanções

Coreia do Norte supostamente estaria usando criptomoedas para fugir das sanções impostas pelos Estados Unidos diz analistas.

A Coreia do Norte está usando cada vez mais criptomoedas para contornar as sanções dos EUA, segundo dois especialistas de Washington. 

Lourdes Miranda, analista de inteligência financeira independente e investigadora de crimes financeiros especializada em coleta e análise de inteligência, e Ross Delston, advogado e especialista independente em Washington especializado em lavagem de dinheiro e combate ao financiamento do terrorismo (AML / CFT).

Coreia do Norte supostamente
Coreia do Norte supostamente estaria usando criptomoedas para fugir de sanções

“Criminosos internacionais em todo lugar preferem criptomoedas e a Coreia do Norte não é exceção. As criptomoedas têm a vantagem adicional de lhes dar mais formas de contornar as sanções dos EUA. Eles podem fazê-lo usando múltiplas exchanges internacionais, misturando e transferindo serviços – espelhando o ciclo da lavagem de dinheiro – para explorar instituições financeiras internacionais que têm relações bancárias correspondentes com os Estados Unidos ”, disseram os dois especialistas em uma resposta escrita conjunta às perguntas do Asia Times.

“A RPDC pode criar as suas próprias criptomoedas ou usar aquelas já estabelecidas, como o Bitcoin. Ter sua própria moeda digital também facilitaria sua capacidade de abrir contas on-line sob o disfarce de uma nação não-adversária usando comunicação anônima para ocultar os locais e o uso do usuário na Internet ”, acrescentaram.

É possível que a RPDC, como parte da criação de sua própria criptomoeda, possa criar sua própria blockchain para manipular seu próprio registro público de transações? Sim, a dupla disse, e isso seria feito para “parecer que as transações estão vindo de fontes legítimas”.

Levando isso um passo além, Miranda e Delston deixaram claro que a Coreia do Norte poderia criar seus próprios serviços de carteira online – contas bancárias virtuais – que armazenam, recebem e enviam moedas digitais para carteiras europeias que têm pouca ou nenhuma Informação Pessoalmente Identificável e/ou não têm sanções norte-americanas impostas contra eles.

“As carteiras criam chaves públicas e privadas para fins de segurança e privacidade”, disseram eles. “Por exemplo, a RPDC poderia abrir uma carteira online usando um serviço baseado na Rússia, transferir sua moeda digital para um serviço de carteira baseado na Bulgária e transferi-la novamente para um serviço de carteira baseado na Grécia, através de comunicação anônima e usando seus próprios recursos blockchain.

Fonte: KazTag

 

Deixe um comentário