Crash do Terra alerta risco de stablecoins para estabilidade financeira

stablecoins

O Banco Central Europeu (BCE) divulgou um relatório analisando o crescimento do mercado de criptomoedas e stablecoins na última década e os riscos que isso representa para a estabilidade do sistema financeiro existente.

Uma seção do relatório dedicada às stablecoins discutiu o papel central que ela desempenha no ecossistema atual. As stablecoins são cada vez mais usadas para interligar várias redes blockchain e desempenham um papel crítico na oferta de liquidez ao ecossistema de finanças descentralizadas (DeFi).

O relatório analisou ainda se essas stablecoins poderiam encontrar um lugar no sistema financeiro tradicional, mas concluiu que a falta de supervisão regulatória adicionada à recente queda de ecossistemas algorítmicos de stablecoins como Terra (LUNA), agora chamado Terra Classic (LUNC), indica os efeitos de contágio que essas stablecoins podem ter no sistema financeiro. Um trecho do relatório dizia:

“As maiores stablecoins têm uma função crítica para a liquidez dos mercados de criptoativos, isso pode ter amplas implicações para os mercados de criptoativos se houver uma corrida ou falha de uma das maiores stablecoins.”

Não foram apenas as stablecoins algorítmicas que enfrentaram a crise durante o crash do mercado de criptomoedas em maio, até mesmo a stablecoin centralizada Tether (USDT) caiu por um tempo e viu quase 10% em saídas.

O BCE também descartou a ideia de usar stablecoins como meio de pagamento, alegando que elas não são práticas, pois a velocidade e o custo, bem como os termos e condições de resgate, se mostraram inadequados para uso em pagamentos na economia real.

O BCE recomendou medidas de supervisão e regulamentação apropriadas para garantir que as stablecoins não representem um risco para a estabilidade financeira nos países europeus. No entanto, o relatório observou que a penetração de stablecoin na região é limitada, uma vez que os provedores de serviços de pagamento europeus não têm sido muito ativos nos mercados de stablecoin até agora.

A União Europeia aprovou recentemente a estrutura Markets in Crypto-Assets (MiCa) que oferece orientação para provedores de serviços de criptoativos (CASPs) operarem na região da Europa. O acordo provisório inclui regras que abrangerão emissores de criptoativos não lastreados, stablecoins, plataformas de negociação e carteiras de criptomoedas.

O BCE pretende restringir a emissão de stablecoin para e-money e instituições de crédito para garantir que um incidente semelhante ao Terra não leve os investidores a perder bilhões de dólares.


Veja mais em: Terra (LUNA) | Notícias

Compartilhe este post

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Como rastrear as baleias Bitcoin?
Criptomoedas

Como rastrear as baleias Bitcoin?

As baleias são responsabilizadas por flutuações repentinas de preços nos mercados de criptomoedas e tradicionais de vez em quando. Dada a sua capacidade de manipular

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.