Criador do DogeCoin diz que criptomoedas são “tecnologia hiper-capitalista de direita”

criptomoedas

O cofundador do memecoin, Dogecoin (DOGE), Jackson Palmer, criticou toda a indústria de criptomoedas e seus investidores em um tópico no Twitter.

Palmer, que criou a moeda extremamente popular como uma piada em 2013, desencadeou seu discurso em uma longa discussão sobre se ele voltaria à criptomoeda – em suma, sua resposta é um enfático “não”. Ele declarou sua crença de que as criptomoedas são de direita e injustas:

“Eu acredito que as criptomoedas são uma tecnologia hiper-capitalista inerentemente de direita construída principalmente para amplificar a riqueza de seus proponentes por meio de uma combinação de evasão fiscal, supervisão regulatória reduzida e escassez artificialmente aplicada. A indústria de criptomoedas é controlada por um “cartel poderoso de figuras ricas” que evoluíram para incorporar muitas das mesmas instituições vinculadas ao sistema financeiro centralizado existente que supostamente pretendiam substituir.”

O site de notícias de tecnologia, Mashable, o rotulou como um “depósito de criptomoedas do tamanho de Shiba Inu”. Palmer continuou a afirmar que as criptomoedas não são amigáveis, com os usuários sendo culpados por senhas perdidas ou vítimas de golpes.

Palmer, que esteve bastante quieto durante a épica ascensão do Dogecoin neste ano, deu um golpe na tecnologia alegando que ela foi projetada para limitar a proteção do consumidor.

“Criptomoeda é como pegar as piores partes do sistema capitalista de hoje (por exemplo, corrupção, fraude, desigualdade) e usar software para limitar tecnicamente o uso de intervenções (por exemplo, auditorias, regulamentação, tributação) que servem como proteções ou redes de segurança para a média pessoa. A criptomoeda não se alinha com minha política ou sistema de crenças e não tem interesse em contra-argumentos, já que não tem energia para tentar dialogar com aqueles indispostos a se engajar em um embasamento conversação.

Após isso, Palmer desativou a opção de responder em seu feed do Twitter.

Em 2015, Palmer anunciou que estava tirando uma “licença prolongada” do mundo tóxico de criptomoedas. Em 2018, ele disse que obteve lucro zero com seu envolvimento com o projeto Dogecoin.

Os preços do DOGE caíram 73% em relação à alta de 9 de maio de US$0,731, mas estavam sendo negociados em alta de 4% no dia a US$0,196, de acordo com a CoinGecko.

Veja mais em: Criptomoedas | Notícias

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *