Depois de relatório polêmico sobre a Ripple, pesquisador sofre ameaças

Depois de relatório polêmico sobre a Ripple, pesquisador relata ter sofrido ataques em suas redes sociais e até ter recebido ligações suspeitas.

O fundador da empresa de pesquisas Messari, Ryan Selkis, alega está sofrendo por perseguição e ameaças a sua vida e a vida de sua família, após ter divulgado um relatório onde aponta que a Ripple Labs estaria omitindo informações que influenciam no valor de mercado da XRP.

Em seu Twitter, Selkis afirma que ele e sua família já receberam ameaças de morte, possivelmente de entusiastas da criptomoeda Ripple que estariam o perseguindo por divulgar um relatório polêmico sobre a criptomoeda.

Ontem a 99Cripto divulgou uma notícia que falava sobre a Messari, empresa de pesquisas que divulgou recentemente um relatório indicando que a Ripple Labs estaria omitindo informações valiosas que poderia mudar drasticamente o valor de mercado da XRP.

Segundo Selkis e sua empresa, a Ripple Labs estaria transferindo grandes montantes de XRP para entidades e pessoas que concordam com um contrato que impede a venda dos ativos transferidos. Essa movimentação bilionária de XRP, aquece o mercado e faz com que o valor de capitalização da criptomoeda cresça, mas de forma artificial, fazendo parecer que a criptomoeda está sendo usada maciçamente, o que segundo o relatório seria um erro.

Aproximadamente 46% seria a margem de erro da atual capitalização da criptomoeda para a indicada pelo o relatório.

A grande parte dos ataques feitos ao pesquisador partiram do Twitter, embora alguns tenham partido fora da plataforma. Selkis relatou que um indivíduo anônima teria ligado para sua casa e dito a data de nascimento de sua esposa e logo depois desligou.

Apesar dele acreditar que  Ripple Labs não tenha ligações com os ataques, o pesquisar pede para que a empresa tome medidas contra os envolvidos antes que ele e sua família se machucassem.

Fonte: CCN

relatório polêmico sobre a Ripple
Depois de relatório polêmico sobre a Ripple, pesquisador sofre ameaças

Deixe um comentário