Ethereum Classic executou o seu hard fork Phoenix

Ethereum Classic executou o seu hard fork Phoenix

O irmão gêmeo da rede Ethereum, Ethereum Classic, executou o seu hard fork Phoenix programado! O qual incluiu recursos do fork anterior de Istambul da Ethereum.

A atualização significa que as duas redes compartilham praticamente o mesmo protocolo e, portanto, são totalmente intercompatíveis. O hard fork estava programado para o bloco 10.500.839, que foi extraído às 20:00. Hora do Leste em 31 de maio.

O fork é o terceiro de uma série de atualizações recentes com o objetivo de alinhar o Ethereum Classic ao popular Ethereum. O fork da Agharta transportou recursos de Constantinopla para a ETC em dezembro, enquanto o Atlantis foi ativado no início de setembro de 2019.

De acordo com Afri Schoedon, desenvolvedor do Ethereum, a inclusão dos recursos de Istambul significa que os dois projetos “atingiram a paridade de protocolo”.

Uma pequena porção de mineradores permanecendo na cadeia antiga foi um dos inconvenientes menores que ocorreram como resultado do fork. Alguns clientes também não foram sincronizados com o hard fork, principalmente o Hyperledger Besu. Segundo a equipe da ETC, isso não deverá afetar a rede, pois o Besu foi usado principalmente nas configurações da empresa.

O que esperar para o Classic

Como as consequências do hack do DAO não foram revertidas, o Ethereum Classic pode ser considerado o “original”. Mas, ainda assim, até o momento não foram atraídos grandes desenvolvedores de aplicativos descentralizados. Enquanto isso, seus próprios DApps nativos permanecem pequenos em comparação com os concorrentes.

Ethereum Classic executou o seu hard fork Phoenix

Entretanto, alguma tração aconteceu com a sua moeda ETC. Recentemente, foi introduzida no Gitcoin como uma opção de pagamento para recompensas de desenvolvedores. Mesmo aquelas que não são para o Ethereum Classic.

A ETC foi introduzida em fevereiro deste ano, como uma forma colateral de financiamento descentralizado baseado em Fantom. Assim, esperava-se que agisse de maneira parecida à Ether (ETH) no MakerDAO.

Para que os desenvolvedores do Ethereum possam portar diretamente seus aplicativos para o blockchain irmão, é necessário atingir a paridade de protocolo. Contudo, diversas outras plataformas de smartcontracts também são compatíveis. Por exemplo: Smart Chain, introduzido recentemente pela Binance.

Agora, devemos aguardar e esperar para saber se o Ethereum Classic irá conseguir atrair uma comunidade de bons desenvolvedores como resultado de seus desenvolvimentos recentes.

Veja mais em: Blockchain | Notícias

Compartilhe este post

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.