Exchange Japonesa reembolsa US$ 440 milhões a clientes vítimas de hacker

A exchange de moedas virtuais baseada no Japão, Coincheck, disse na terça-feira que reembolsou mais de 46,6 bilhões de ienes (US $ 440 milhões) aos clientes após o ataque hacker de seus sistemas, que foi um dos maiores roubos desse tipo.

A empresa disse que usou seus próprios fundos para reembolsar todos os 260 mil clientes que perderam seus ativos em NEM, uma das suas principais criptomoedas.

“Os procedimentos foram concluídos com as contas de todos os 260 mil clientes”, disse o porta-voz da empresa, Yosuke Imai.

Os ladrões roubaram 523 milhões de unidades da criptomoeda – valor estimado em US$ 547 milhões que excedeu os US$ 480 milhões em bitcoin roubados em 2014 de outra exchange japonesa, a MtGox.

O ataque hacker de 2014 levou o Japão a emitir novos regulamentos, exigindo que as exchanges obtivessem uma licença do governo, mas Coincheck foi autorizado a continuar operando enquanto a Agência de Serviços Financeiros estava revisando sua aplicação.

O chefe de operações, Yusuke Otsuka, disse na semana passada que o sistema da empresa foi violado depois que vários membros da equipe abriram e-mails contendo malware.

A empresa não conseguiu atualizar seus sistemas para acompanhar a rápida expansão do mercado de ativos digitais, disse ele.

Em fevereiro, sete demandantes – duas empresas e cinco pessoas – apresentaram uma ação judicial contra Coincheck buscando o reembolso de 19,53 milhões de ienes em moeda virtual perdidas e compensação adicional por juros perdidos devido ao hacker.

Cerca de 10 mil empresas no Japão aceitam bitcoin, e bitFlyer – a principal exchange de bitcoins do país – viu sua base de usuários crescer, ultrapassando a casa de um milhão em novembro.

Deixe um comentário