Extensões do Google Chrome que roubam criptomoedas

Extensões do Google Chrome que roubam criptomoedas

O Naked Security, um famoso portal de notícias sobre segurança cibernética, realizou um comunicado na data de 8 de maio. De acordo com um pesquisador de segurança especializado em criptomoedas, Harry Denley, há – além dos já descobertos – mais 22 extensões maliciosas do Google Chrome. Aparentemente, o objetivo de tais extensões, é levar os usuários ao fornecimento de credenciais necessárias para acesso às suas respectivas carteiras. Algumas das extensões, representavam empresas de criptomoeda conhecidas como Ledger, KeepKey, MetaMask e Jaxx.

Porém, até o momento, a maior parte das extensões de phishing já foi desativada. De acordo com o relatório anunciado, grande parte caiu após 24 horas da denúncia do pesquisador Denley.

Extensões do Google Chrome que roubam criptomoedas

Extensões frequentemente usadas para phishing

Acredita-se, que para os cibercriminosos, a loja de extensões do Google Chrome seja uma mina de ouro para o roubo de criptomoedas, o que os atrai para lá. Os gerentes do Google alteraram as regras que regem a publicação das extensões do Chrome, ao final do mês de abril. Tais mudanças visam dificultar a disseminação de códigos maliciosos por golpistas.

Ademais, o Google vem estado alerta para esses problemas que vem ocorrendo. Cerca de 49 extensões de phishing no Chrome foram removidas pelo Google em abril, após relatórios de atividades maliciosas. E, o principal produtor de carteiras de hardware de criptomoeda, Ledger, alertou seus usuários, em meados do mês de março, sobre as extensões de phishing na loja.

Porém, ainda há muito há ser feito. Relatórios gerados no final do mês de abril, mostram que o Google ainda necessita solucionar um problema ainda mais amplo das campanhas de phishing que utilizam suas plataformas. De acordo com o relatório, acredita-se que o Google Ads, uma plataforma de publicidade do Google, têm sido utilizada para atrair vítimas a clones de golpes de phishing que mexam com troca de criptomoedas. Enquanto isso, a Ripple Labs, empresa de blockchain, entrou com uma ação contra o Youtube. A ação busca danos depois que os golpistas de criptomoeda os personificaram na plataforma.

Veja mais em: Criptomoedas | Notícias

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário