Início»Informação»Gestão em Tempos de Crise

Gestão em Tempos de Crise

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Nenhum país, nenhuma cidade e nenhuma empresa estão imunes de momentos de crise. No idioma chinês a palavra crise tem dois ideogramas, que significam perigo e oportunidade. Enfrentar uma crise requer entendimento do ambiente de negócios, preparo para compreendê-la e ações para reagir.

A primeira atitude de um líder que passa por uma crise é começar a pensar em mudanças e alternativas. Entrar em inércia em tempos de crise pode ser fatal. O primeiro passo para quem quer sair de uma crise, é entender o por que você está nela. Faça uma análise minuciosa da sua empresa, dos seus produtos e de seu mercado. E, se o motivo dos maus números for uma crise financeira em seu país, isso não é desculpa para não mudar suas atitudes como líder.

Uma vez que você entenda o motivo da crise, comece a colocar na ponta do lápis todas as despesas de curto e médio prazo. É importante saber o montante da dívida da empresa e monitorar isso de forma constante e minuciosa. Monte um fluxo de caixa bem estruturado e mantenha-o sempre atualizado, por menor que for a despesa.

Mantenha a comunicação na sua empresa. É imprescindível que o contato com os funcionários, clientes e fornecedores seja claro e dinâmico. Falhas de comunicação podem agravar a situação da sua empresa que já não está em uma boa fase. Ao solicitar uma tarefa para um funcionário, seja claro e objetivo, não dê margem para dupla interpretação, uma vez que não é hora de ter mais custos com retrabalho. Informe seus fornecedores que você passa por uma fase difícil e negocie prazos e preços de forma clara, para que não haja desgastes. E, caso sua empresa possua um setor de marketing e relacionamento, não cometa erros com os clientes que possam ferir a imagem da empresa e piorar ainda mais a sua gestão neste momento.

Leia Também:  Será esta proibição o principal motivo para a queda acentuada das Criptomoedas nos últimos dias?

Se você delegou muitas tarefas à supervisores, gerentes ou encarregados, no momento de crise é importante reavaliar o histórico de erros de sua equipe e ver se é preciso que você retome algumas tarefas a fim de evitar tomadas de decisões arbitrárias. Todo cuidado é pouco. Caso sua empresa tenha um supervisor com pouca experiência ou que acabou de ser promovido para o cargo, acompanhe de perto e participe de toda tomada de decisão. Se for necessário, centralize temporariamente as decisões de maior impacto ou de maior risco.

Outro ponto a ser reavaliado são os projetos de melhoria ou de criação de novos produtos. Faça as estimativas de custo destes projetos no curto e médio prazo e veja como isso impacta o caixa de sua empresa. Se o cenário não for favorável, congele os projetos até que a situação melhore e retome-os quando julgar que o risco diminuiu.

Renegociar as dívidas é outro passo importante, mas requer cuidado. É importante entender a gravidade da crise antes de tomar essa medida. Se você julga que dificilmente sua empresa sobreviverá a crise em que se encontra, renegociar as dívidas pode só aumentar o montante final a ser pago. Mas, se este não for o caso, entre em contato com os credores, negocie novas taxas e novos prazos para as dívidas pessoais e da empresa. Além disso, é importante que o gestor diminua o stress fora do trabalho também, a fim de ter mais tranquilidade para administrar a empresa.

A tarefa mais importante para o gestor em momentos de crise, é reduzir gastos. Comece por tudo aquilo que não impacta na qualidade de seus produtos ou serviços. Diminuir o consumo de energia elétrica pode representar uma boa economia para uma indústria, mas nem tão grande para um comércio varejista. Reduzir mão-de-obra pode se fazer necessário em momentos como este. Mas negocie um acerto trabalhista com seus funcionários, isso pode evitar que você tenha uma enorme despesa trabalhista no curto prazo. Parcelar o valor devido ao funcionário, é bom para a empresa e, de certa forma, é bom para o funcionário que evita o desgaste de um embate na Justiça Trabalhista. Se a demanda por algum produto que você fabrica diminuir em função da crise, reduza sua linha de produção e passe a produzir menos. Desta forma você facilita sua gestão de estoque e diminui os gastos.

Entender os rumos que o mercado está tomando é imprescindível para auxiliar sua empresa a sair da crise. O seu produto ou serviço pode não estar vendendo bem porque o mercado mudou ou porque um concorrente surgiu com algo similar e com diferenciais. Quanto mais rápido sua empresa se readaptar ao mercado, mais rápido sairá da crise. Se for preciso, reavalie seu modelo de negócios, volte ao seu plano de negócios e pense em outras opções que te farão continuar no mercado.

Leia Também:  Será esta proibição o principal motivo para a queda acentuada das Criptomoedas nos últimos dias?

Não existe, infelizmente, uma fórmula mágica para sair de uma crise, mas com muita calma e cautela é possível administrá-la e sair fortalecido dela. Cada caso precisa ser analisado para que as medidas certas sejam tomadas, permitindo a mudança de um cenário pessimista para um otimista. Se você se sentir perdido, talvez seja o momento de procurar uma consultoria especializada nesse tipo de caso.

Siga-nos nas redes sociais
Canal no Telegram Siga-nos no Facebook Acompanhe nosso Twitter Siga-nos no Instaram
Artigo anterior

Práticas para uma Boa Governança Corporativa

Próximo artigo

Validando um Plano de Negócios para sua Startup – Um estudo de caso

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.