MasterCard registra patente para sistema de faturamento de dispositivos baseado em Tangle

MasterCard registra patente para sistema de faturamento de dispositivos baseado em Tangle

A MasterCard sediada em Cingapura, registrou uma patente no Escritório de Patentes dos EUA detalhando um sistema de pagamento para o uso de dispositivos de hardware, que menciona especificamente a tecnologia Tangle da Iota (MIOTA).

A reivindicação da patente, publicada em 20 de agosto, propõe um sistema pré-pago que usa um “sistema de armazenamento de dados transparente e agregação”. Os usuários devem fornecer suas credenciais para obter acesso a um determinado dispositivo de hardware — a patente cita copiadoras e impressoras 3D como exemplos — e cobrados estritamente pelo que usaram.

Os sistemas de armazenamento de dados propostos podem ser baseados em um Tangle ou em um blockchain genérico. A patente não menciona a rede Iota ou sua moeda, já que o sistema também pode ser usado em ambientes privados.

Além disso, a patente afirma que tal sistema apresentaria uma melhoria em relação aos mecanismos de pagamento tradicionais comumente usados ​​para dispositivos de hardware compartilhados. Ele argumenta que os cartões pré-pagos bloqueiam os usuários no sistema, mesmo que eles não saibam quanto de uso verão, enquanto o pagamento total por uso “costuma usar máquinas conectadas que aceitam moeda física para operar”. Esses sistemas legados também podem limitar as opções de pagamento disponíveis para os usuários, observa a patente.

Os benefícios declarados incluem um maior grau de transparência e confiança no sistema, a capacidade de monitorar o uso em tempo real e a eliminação de taxas associadas a cartões de crédito e outros sistemas de pagamento. No entanto, a patente não explica como os usuários pagariam pelo uso, apenas focando na implementação técnica de tal sistema. Dada a necessidade de registrar transações em um livro razão distribuído, é provável que algum sistema semelhante a criptomoeda seja necessário, o que pode limitar as opções de pagamento para os usuários também.

Recentemente, a MasterCard vem se abrindo para criptomoedas, lançando uma iniciativa de integração dedicada para que os emissores de cartões criptografados usem a rede em julho. Em maio, ela também entrou em um projeto de privacidade de dados junto com o provedor de blockchain corporativo R3.

Além disso, a MasterCard foi um dos membros originais do consórcio Libra, mas deixou a associação em outubro de 2019 citando preocupações regulatórias e de modelo de negócios.

Veja mais: Notícias

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário