Negociação de criptomoedas em rublos cai

Negociação de criptomoedas em rublos cai

A presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, reiterou os avisos de que indivíduos e empresas russas usam criptomoedas para contornar as sanções.

No entanto, o volume diário de negociação de criptomoedas denominada em rublos estava em apenas US$7,4 milhões, uma queda de mais de 50% em relação aos números recentes e um pico de US$70 milhões em 7 de março, de acordo com a Chainalysis.

Esse valor representa uma pequena fatia do volume total do mercado global de criptomoedas, com o volume diário total do Bitcoin geralmente flutuando entre US$20 bilhões e US$40 bilhões.

Em uma apresentação no Bank for International Settlements Innovation Summit, Lagarde disse:

“As autoridades financeiras europeias disseram que volumes de rublos estáveis em criptos, no momento está no nível mais alto que vimos, desde 2021.”

Lagarde não apontou o dedo para o governo russo e destacou que eram principalmente indivíduos e empresas russas que se voltavam para criptomoedas. No entanto, ela disse:

“As criptomoedas certamente estão sendo usadas como forma de tentar contornar as sanções. Então, criptomoedas são uma ameaça? Sim. Já foi uma ameaça no passado? Sim, porque quando você olha para muitas das transações duvidosas que estão ocorrendo, muitos dos pagamentos de atividades criminosas que estão ocorrendo, muitas vezes você encontra alguns ativos criptográficos.”

Os comentários de Lagarde parecem estar em desacordo com os dados fornecidos por Chainalysis e Kaiko, bem como com a opinião de especialistas. Jake Chervinsky, da Blockchain Association, disse que é improvável que a Rússia utilize criptoativos como método de contornar as sanções ocidentais.

Dados fornecidos pela empresa de análise de criptomoedas Kaiko, mostraram que o volume de rublo para Tether (USDT) caiu 86% em relação ao pico de US$38 milhões em 7 de março para menos de US$5 milhões em 22 de março. Mas, os volumes agora estão de volta a níveis abaixo dos vistos durante a maior parte do início de fevereiro. Isso antes das sanções serem impostas.

Por outro lado, as criptomoedas estão desempenhando um papel importante para ajudar os refugiados ucranianos a escapar do país. A CNBC contou a história de um refugiado ucraniano usando o pseudônimo “Fadey” que fugiu do país devastado pela guerra com US$2.000 em Bitcoin em uma carteira fria, tornando muito mais fácil para ele acessar seus ativos monetários assim que alcançou a segurança na Polônia.

Alex Gladstein, diretor de estratégia da Fundação de Direitos Humanos, disse que tentar sacar dinheiro de bancos ucranianos nas semanas que antecederam a invasão foi incrivelmente difícil e destacou as dificuldades enfrentadas pelos refugiados que atualmente tentam acessar seus fundos de países como a Polônia.

“Como você vai acessar sua conta bancária ucraniana na Polônia? Boa sorte.”

As doações feitas à Ucrânia por meio de ativos criptográficos dispararam nos últimos três meses, com as doações diárias gerais feitas à Ucrânia agora em US$100,9 milhões.

Veja mais em: Notícias

Compartilhe este post

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.