Início»Criptomoedas»CONHEÇA OS MAIORES ROUBOS DE CRIPTOMOEDAS

CONHEÇA OS MAIORES ROUBOS DE CRIPTOMOEDAS

A Coincheck tornou-se o mais recente alvo de hackers (“ladrões”). Resultando na perda de quase US$ 500 milhões de Token NEM

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Na última sexta-feira (26/01/18), a Coincheck tornou-se o mais recente alvo de hackers (“ladrões”). Resultando na perda de quase US$ 500 milhões em Tokens NEM. As principais Criptomoedas já somam perdas por roubos acima de US$ 1,3 bilhão desde 2014.

Abaixo está um ranking dos maiores roubos conhecidos no mercado de criptomoedas.

  • Coincheck: US$ 500 milhões (2018)
  • Parity Wallet: US$ 155 milhões (2017)
  • Tether: US$ 31 milhões (2017)
  • NiceHash: US$ 63 milhões (2017)
  • Bitfinex: US$ 65 milhões (2016)
  • DAO: US$ 50 milhões (2016)
  • Mt Gox: US$ 480 milhões (2014)

O ataque ao Mt Gox, foi o maior roubo em Bitcoins ocorrido no mundo até o momento, levou à queda definitiva da plataforma. A organização DAO foi retirada da lista de várias Exchanges importantes após o choque de 2016. A Tether, que está presente em várias controvérsias, recentemente dividiu seu público com a “demora” que levou para examinar o balanço da empresa.

A Bitfinex parece ter conseguido recuperar-se da sua violação de segurança. No momento vem lutando para manter as operações funcionando sem problemas em relação à maior demanda de comércio de Criptomoedas.

Neste contexto, os reguladores estão começando a agir com maior urgência para identificar riscos e formular uma resposta efetiva à ameaça. O único problema é que, sem precedentes históricos, ninguém sabe exatamente como avançar neste território sombrio.

O Japão, tornou-se um dos primeiros países a legalizar completamente as criptomoedas. Com a Agência de Serviços Financeiros de Tóquio (FSA), introduzindo um sistema de licenciamento para as Exchanges. Curiosamente, Coincheck não estava registrada na FSA quando foi violada. Embora a Exchange tenha anunciado planos para compensar os clientes que foram roubados, seu futuro ainda é incerto. Pois reguladores japoneses impuseram a Coincheck algumas sanções administrativas. Por não terem garantido a segurança dos consumidores e também anunciaram (FSA) que realizaram inspeções na Coincheck em breve.

Leia Também:  Google experimenta ofertas blockchain para tentar recuperar território no mercado

A Coréia do Sul tornou-se recentemente a mais recente jurisdição para introduzir novos regulamentos, embora os responsáveis políticos não conseguissem adotar medidas extremas como na vizinha China.

O jogo de “gato” e “rato” entre hackers e reguladores é talvez a maior fonte de incerteza que enfrenta o mercado global de Criptomoedas. À medida que os ataques cibernéticos crescem em regularidade e gravidade, os reguladores podem adotar medidas mais extremas para controlar o mercado.

Se deseja compreender melhor sobre o mercado, gráficos, indicadores e como tomar melhores decisões faça o nosso Workshop (Blockchain e Criptomoedas), estamos com várias turmas abertas neste ano de 2018.

 

Siga-nos nas redes sociais
Canal no Telegram Siga-nos no Facebook Acompanhe nosso Twitter Siga-nos no Instaram
Artigo anterior

10 REGRAS QUE VOCÊ PRECISA DOMINAR ANTES DE FAZER TRADE

Próximo artigo

ESTRATÉGIAS DE SUCESSO PARA A COMPRA DO BITCOIN

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.