Outra exchange exclui Monero em meio a escândalos sexuais

Outra exchange exclui Monero em meio a escândalos sexuais

A Bithumb, Exchange de criptomoedas relevou que vai banir oficialmente o Monero (XMR) da plataforma de negociação a partir do dia 1 de junho. A Newsway publicou que a decisão foi tomada pela empresa após ter removido temporariamente a moeda em abril.

Há pouco, usuários do Telegram declararam estar utilizando o XMR para fazerem compras de conteúdo pornográfico ilegal. Muitos desses eram menores de idade.

N-room parecia ter preferência pelo Monero

Pelo falo do XMR possuir uma infraestrutura que promove segurança de identidades quando realizadas transações, a criptografia parecia despertar interesse de uso para compras de conteúdos sexuais. Então, as investigações conduzidas pela polícia sul-coreana tiveram isso como um ponto gerador de dificuldade.

Bithumb ainda comentou sobre a redução importante nos volumes de negociação nos últimos tempos. A plataforma disse como irá impedir transações ilegais:

“Estamos realizando uma revisão técnica relacionada à segurança da rastreabilidade por meio de discussões contínuas com cada fundação sobre ativos virtuais com características semelhantes às de Monero.”

Foi adicionado ainda que a empresa respeita as políticas de fornecimento de ambiente legal e com segurança para transações de criptomoedas.

Retirada de Monero levou a decisão

No entanto, no dia 12 de abril, Huobi Korea havia divulgado a finalização do apoio ao Monero devido aos escândalos. Mas, na época, não foi revelado que o caso N-room era um dos motivos para encerramento. Relatos apareceram no dia 25 de março, que diziam que quatro exchanges de criptomoedas locais mostraram apoiar policiais locais para concluírem as investigações.

Veja mais em: Criptomoedas | Notícias

Compartilhe este post

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.