Plataforma oferece opção de tornar postagens impossíveis de excluir

Plataforma oferece opção de tornar postagens impossíveis de excluir

A plataforma alternativa de mídia social Minds, agora permite que os usuários salvem permanentemente seu conteúdo na plataforma Arweave, o que garante que ninguém jamais poderá excluí-lo depois de publicado.

Os usuários do Minds podem optar por publicar seu conteúdo na “permaweb” sem a necessidade de pagamento ou configuração adicional. Depois de vários minutos, o conteúdo pode ser visto no explorador de blocos Arweave e espera-se que permaneça lá para sempre – ou pelo menos enquanto o Arweave existir, disse o CEO da Minds Bill Ottman.

Isso marca a primeira grande integração do blockchain – ou um “blockweave”, na terminologia do Arweave – na infraestrutura de conteúdo da empresa. Embora a Minds tenha um token baseado em Ethereum usado para recompensas e pagamento pelos serviços da empresa, a plataforma de mídia social em si era inteiramente baseada em servidores da web tradicionais.

Para inaugurar o novo recurso, Ottman publicou uma foto e uma citação de George Orwell que diz: “O passado foi apagado, o apagamento foi esquecido, a mentira se tornou a verdade”.

A ideia de armazenar conteúdo permanentemente não é totalmente nova no espaço das criptomoedas. Sistemas como o Hive salvam automaticamente todas as postagens no blockchain, mas Ottman acredita que esse não é o resultado ideal.

“É tudo uma questão de fornecer opções aos usuários.”

Nem todo mundo pode querer manter seu histórico de mídia social para sempre. Os regulamentos europeus de privacidade chegam ao ponto de estabelecer o “direito ao esquecimento” das plataformas online, de forma que os usuários possam apagar todos os vestígios de suas atividades anteriores, se assim o desejarem.

“Eu não acho armazenamento permanente necessário para cada postagem. É uma grande coisa postar algo permanentemente, é melhor você não dizer nada de que se arrependerá. […] eu acho que você quer dar às pessoas as duas opções. Se o Amazon S3 cair, podemos usá-lo como backup.”

O uso de blockchain para armazenamento de conteúdo também traz o benefício de uma infraestrutura mais resiliente.

Ainda assim, o caso de uso mais óbvio de tal recurso é a resistência à censura. O conteúdo que não pode ser removido ou modificado após a publicação também deve ser extremamente difícil de censurar.

Isso pode ser visto como uma faca de dois gumes. As principais plataformas de mídia social estão atualmente sendo examinadas por fazer, simultaneamente, muita moderação de conteúdo e muito pouco – dependendo das opiniões pessoais dos críticos.

“Você tem que se perguntar, qual cenário de 1984 você quer? Você quer um cenário onde todas as informações possam ser destruídas […] ou você quer que mais conteúdo seja permanente?”

Ottman acredita piamente na ideia de que as informações não devem ser sufocadas:

“Se em dez anos tivermos moderadores que estão apenas banindo merdas aleatórias, por favor, nos ataquem.”

Mas confiar na palavra dos fundadores de uma empresa pode não ser suficiente. A liderança do Twitter se autodenominou “a ala da liberdade de expressão do partido da liberdade de expressão” em 2012, mas alguns anos depois, o CEO do Twitter, Jack Dorsey, se distanciou desses comentários.

Ottman acredita que o armazenamento de dados imutável se tornará mais comum:

“É apenas a evolução inevitável da tecnologia. As coisas estão se tornando mais permanentes, mais transparentes.”

Armazenar dados imutáveis pode remover muitos dos mecanismos de controle que permitem a censura, mas não todos. Como Ottman disse, os nós da Arweave impõem um certo grau de moderação de conteúdo antes de decidir se devem ser incluídos. Além disso, as informações ainda podem ser ocultadas pelos front-ends das plataformas de mídia social, o que pode limitar significativamente seu alcance.

Veja mais em: Notícias | Segurança

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário