Praga em plantação será combatida com blockchain

combatida com blockchain

O Brasil está cada vez mais por dentro do uso da tecnologia blockchain. Temos até praga sendo combatida com blockchain. Na Bahia, por exemplo, o programa Centelha irá apoiar o IoTCoca. Esse projeto é voltado para a melhoria da plantação de cacau no estado.

Porém, o que surpreende a todos é a proposta de usar blockchain para controlar a Vassoura de Bruxa, uma das pragas que infestam as plantações por lá. Esse tipo de solução é muito inovadora no Brasil, mas já é realidade em outras partes do mundo.

De fato essa tecnologia é muito bem vinda em nosso país. O Brasil é um dos grandes produtores de cacau do mundo. Na década de 80, em decorrência de uma briga relacionada a política, houve uma disseminação criminosa de Vassoura de Bruxa na Bahia. Na época ela era a maior produtora de cacau do Brasil.

Antes do projeto ser selecionado houve um teste no simulador OMNET. Nele foram checados o conceito e o desempenho do que foi proposto.

O projeto tem um objetivo bastante ambicioso: conseguir informações importantes para ajudar no processo de pesquisa na região. Dessa forma, será possível o desenvolvimento do “cacau premium” por lá.

Programa Centelha permitirá que Vassoura de Bruxa seja combatida com blockchain

Não foi apenas o projeto IoTCoca que foi selecionado pelo programa Centelha. Ao todo, foram 49 projetos beneficiados pelo programa. Isso incluí propostas em inteligência artificial, deep learning, nanotecnologia e genética.

Porém, a concorrência foi grande nessa edição. Foram 2047 inscrições e 932 propostas de negócios, o que incluiu 86 cidades. Todos eles focados em trazer avanços e inovação para o estado da Bahia.

A execução do programa fica sob a responsabilidade da Fundação de Amparo à Pesquisa. Porém, no âmbito Federal, temos a atuação do Finep e do MCTIC. Além disso, são apoiadores o Confap, CNPQ e CERTI.

O investimento do estado da Bahia em blockchain já tem uma certa história. Em parceria com o estado do Rio Grande do Sul, foi construído o aplicativo que usa blockchain para licitações. Além disso, no dia 5 de fevereiro, o projeto recebeu uma premiação internacional.

Como funciona o aplicativo de licitações

Não é apenas praga de plantação que pode ser combatida com blockchain, a praga da burocracia também. O Soluções Online de Licitação, também conhecido como SOL, consegue registrar várias informações de transação do governo.

Assim é possível registrar informações sobre editais, compras, atas e contratos que estão em trâmite no estado. Além disso, todas as informações ficam visíveis na blockchain.

O intuito do aplicativo é integrar cerca de mil empresas da Bahia e do Rio Grande do Sul, permitindo o livre correr de informações sobre obras, bens e serviços com velocidade e transparência.

Desde seu lançamento em julho de 2019, o SOL já conseguiu mais de 240 contratos. Além disso, o valor total movimentado pelos contratos ultrapassa RS$ 2,5 milhões.

A inclusão dessa tecnologia pelo governo mostra uma maior compreensão da tecnologia e seus benefícios. Dessa forma, se mais projetos se mostrarem competentes, é bem possível que as autoridades vejam as criptomoedas com outros olhos.

Fonte: Programa Centelha

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário