Em uma audiência, em 26 de fevereiro de 2018, o tribunal de arbitragem de Moscou decidiu que os fundos de criptomoedas de um devedor falido não podem ser apreendidos como pagamento para credores, segundo relatórios do grupo de uma mídia local.

O tribunal considerou um pedido apresentado pelo gerente de finanças Aleksey Leonov, que solicitou permissão para recuperar fundos de um devedor, o Ilya Tsarkov, ao se apoderar dos ativos em criptomoedas de Tsarkov. Dessa forma, Leonov solicitou que o tribunal exija que Tsarkov forneça a senha da sua carteira de criptomoedas do site Blockchain.info.

Os documentos foram revisados pelo tribunal, os quais provaram que Tsarkov estava na posse de uma carteira de criptomoedas com bitcoins, mas se recusou a conceder o pedido de Leonov para aproveitar as moedas digitais de Tsarkov para pagar a dívida.

De acordo com Nikita Kulikov, diretor executivo de um escritório de advocacia de Moscou (Heads Consulting), o tribunal não poderia ter alcançado qualquer outra decisão, uma vez que a legislação de criptomoedas ainda não está firmemente estabelecida na Rússia.

“Se o tribunal incluísse ativos de criptomoedas no estado de insolvência, isso significaria que a lei russa reconheceria ativos de moedas digitais como um tipo de dinheiro, o que é contrário à posição do banco central, ou como uma propriedade, que não é estabelecida pela lei”, disse Kulikov.

Leonov discordou. Para ele, apesar do fraco status legal de criptomoedas na Rússia, não há razão para que ele não seja incluído no grupo de ativos, que pode ser apreendido por um credor. Ele também acrescentou que o precedente estabelecido pelo tribunal poderia resultar em uma saída de ativos em futuros casos de arbitragem de dívidas.

 

Deixe um comentário