Início»Criptomoedas»Bitcoin»Ripple não será o novo Bitcoin

Ripple não será o novo Bitcoin

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

A evolução das moedas do Ripple viu uma incrível valorização nas últimas semanas, mas os investidores podem ter percebido a idéia errada.

Anúncio

Nem todas as criptografia são criadas iguais. Mas não diga isso aos investidores no XRP. No último mês, a moeda detida pela Ripple, uma empresa que usa a tecnologia blockchain para construir o sistema de pagamento do futuro, subiu de preço em 700%. O valor geral da XRP aumentou quase US$150 bilhões e fez com que Chris Larsen, o cofundador da Ripple, uma das pessoas mais ricas do planeta.

A empolgação foi alimentada, pelo menos em parte, pela crença de que qualquer pessoa que comprava o XRP estava comprando o próximo Bitcoin. Mas, para alguns, poderia acabar como uma lição muito cara no melhor estilo de comprar gato por lebre.

Para começar, a Bitcoin depende de uma blockchain que é executada por “mineradores” que validam as transações e mantém a moeda segura. Os Bitcoins são lançados como recompensas por esta mineração e atuam como um incentivo para manter a rede em funcionamento. Na configuração do Ripple, não há mineradores; todas as 100 bilhões de moedas do XRP que existem foram criadas quando a rede foi lançada em 2012. Os criadores mantiveram 20 bilhões e colocaram o restante no mercado. Desde então, o Ripple vem sendo “metodicamente” distribuindo tokens para clientes, mas ainda possui quase 50 bilhões em uma conta para garantia.

Isso não é tudo. O Ripple usa um novo algoritmo de consenso para validar transações e recomenda que os clientes usem uma lista de participantes identificados e confiáveis ​​para validar suas transações. Isso contrasta com o Bitcoin, onde qualquer um pode se tornar minerador.

Isso dá a Ripple uma grande medida de controle sobre o funcionamento interno do XRP, o que levou muitos a argumentar que não é verdadeiramente descentralizado. Nesse sentido, pelo menos, o XRP é uma moeda de criptografia realmente ruim.

O grande ponto é que o XRP nunca foi feito para ser outro Bitcoin.

A grande aposta do Ripple é que o XRP se tornará uma “moeda-ponte” que muitas instituições financeiras usam para liquidar pagamentos transfronteiriços mais rápido e mais barato do que agora usando redes de pagamento globais, que podem ser lentas e envolver múltiplos intermediários. O Bitcoin poderia ser usado para fazer isso também, mas o Ripple pode liquidar 1.000 transações por segundo, em comparação com os sete do Bitcoin, e suas taxas de transação são muito menores. A idéia é que isso, por sua vez, tornará a moeda mais valiosa. A empresa diz que mais de 100 instituições financeiras estão usando sua tecnologia, e o pico recente da XRP foi vinculado à notícia de que 61 bancos no Japão e 2 na Coréia do Sul formaram uma coalizão para lançar um novo piloto Ripple.

Leia Também:  Santander lança aplicativo internacional de transferência de dinheiro com Ripple

Aqui está a captura: a rede de pagamento baseada em blockchain da Ripple não precisa de uma moeda de ponte para funcionar, e quase todos os que usam a rede até agora escolheram trocar IOUs digitais. Eles liquidam as transações mais tarde, usando moeda fiduciária.

Na semana passada, Brad Garlinghouse, CEO da empresa, afirmou que os bancos e os provedores de pagamento “realmente planejam usar (XRP) de forma séria”.

No entanto, as pessoas que especulam no token agora provavelmente devem estar cientes de que a adoção generalizada está longe de ser uma realidade e talvez nunca seja uma. E talvez algumas pessoas estejam começando a perceber que depois da euforia inicial, o valor total do XRP caiu de novo por terra, perdendo quase US$100 bilhões em capitalização de mercado no processo.

Siga-nos nas redes sociais
Canal no Telegram Siga-nos no Facebook Acompanhe nosso Twitter Siga-nos no Instaram
Artigo anterior

Telegram quer US$2 bilhões em sua Oferta Inicial de Moedas (ICO)

Próximo artigo

CONHEÇA A PERFORMANCE POR PERÍODOS DAS CRIPTOMOEDAS

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.