Dois homens são presos por usar o golpe “Troca de SIM” para roubar criptomoedas

Dois homens de 20 e poucos anos foram presos após serem acusados ​​de usar um sofisticado esquema de hackers para controlar as contas de mídia social das pessoas e roubar criptomoedas usando técnicas como convencer as empresas de telefonia a trocar o controle dos cartões SIM dos celulares.

Eric Meiggs, 21 anos, de Brockton, e Declan Harrington, 20 anos, de Rockport foram indiciados por uma acusação de conspiração, oito acusações de fraude eletrônica, uma acusação de fraude e abuso de computador e uma acusação de roubo de identidade agravado. Eles foram presos na quinta-feira e libertados sob condições depois de comparecerem ao Tribunal Distrital dos EUA em Boston, disse Christina DiLorio-Sterling, porta-voz do advogado dos EUA, Andrew Lelling.

Dois homens são presos por usar o golpe "Troca de SIM" para roubar criptomoedas
Dois homens são presos por usar o golpe “Troca de SIM” para roubar criptomoedas.

Meiggs e Harrington são acusados ​​de atingir pelo menos 10 vítimas em todo o país. Eles roubaram ou tentaram roubar US$ 550.000 em criptomoedas e assumiram o controle de duas importantes contas de mídia social, disse ela.

Os homens são acusados ​​de atingir executivos de empresas de criptomoeda e aqueles que provavelmente possuem quantidades significativas de criptomoeda, como o Bitcoin. Eles também são acusados ​​de atingir aqueles que tinham nomes de contas de mídia social de alto valor.

Os homens supostamente conspiraram para invadir e controlar as contas online das vítimas para que pudessem obter criptomoeda ou outras coisas de valor, disse ela.

Um de seus supostos esforços envolvia “troca de SIM“. Os dois convenciam uma operadora de celular a reatribuir o número de telefone da vítima do cartão SIM dentro do celular da pessoa para o cartão que eles controlavam. Eles então se apresentaram como vítimas e solicitaram redefinições de senha ou códigos de autenticação para acessar as contas das vítimas, disse DiLorio-Sterling.

O caso foi investigado pelo escritório de Lelling, pela Divisão Criminal do Departamento de Justiça dos EUA, pelo FBI e pela Receita Federal. O caso está sendo processado pelas unidades intelectuais e criminais de crimes cibernéticos e de informática do advogado dos EUA, disse ela.

Traduzido e adaptado de: masslive.com

Deixe um comentário