Trustology amplia o suporte à Binance

Trustology amplia o suporte à Binance

A plataforma Trustology, empresa de custódia criptográfica, passou a estender seus serviços para a Binance Chain. O objetivo é fornecer negociações através da Binance DEX, uma bolsa não custodial da Binance.

Agora você deve estar se perguntando: como diabos a negociação de custódia aconteceria em uma bolsa como a DEX que não seja de custódia? Calma, é só continuar lendo! Recentemente, a Binance comunicou seus planos: a construção de uma “cadeia inteligente” paralela à existente. Em teor mais físico, pense em usar vários modos de transporte, como um automóvel e um avião, por exemplo, para ir de um ponto a outro, como do A ao B.

Factualmente, caso o improvável confronto ocorra, a Trustology acredita em incentivar a criação de aplicativos descentralizados. Além disso, também poderia render uma indicação de que a rede Binance “provavelmente seguirá o ecossistema DeFi que cresce rapidamente”.

Supostamente, tal plataforma iria possibilitar que os usuários realizassem transações com a Binance Coin (BNB) e todas as criptomoedas de terceiros com total custódia de seus ativos.

Alex Batlin, O CEO da Trustology, declarou:

“Com o valor bloqueado nos mercados de criptomoeda DeFi atingindo a marca de US$1 bilhão no início deste ano, um quarto do que valia há um ano, o mercado está preparado para um crescimento contínuo. A Binance, desenvolvendo seu próprio ecossistema DeFi, é uma vitória óbvia para a Binance Smart Chain. E para nós, como custodiantes, sempre nos esforçamos para oferecer a nossos clientes o maior número possível de oportunidades para maximizar o potencial de ganhos nos mercados financeiros.”

Escalabilidade maior

A empolgação do CEO com DeFi parece vir sendo extremamente sincera. De acordo com uma entrevista concedida em abril, Batlin falou que, quando a DeFi começasse a trabalhar, “poderia ser um dos pools de liquidez mais confiáveis ​​porque é descentralizado e, portanto, muito mais global”.

Entretanto, o CEO Batlin também supõe que as plataformas que oferecem suporte a finanças descentralizadas precisam de uma escalabilidade maior que a atual. Batlin justifica isso, acreditando que facilitaria a adoção principal dos protocolos DeFi. Ademais, o CEO também disse que o Ethereum 2.0 está “chegando lá”. Atualmente, apenas 28 carteiras, a maioria sem custódia, suportam a Binance Chain.

Acredita-se, que pela arquitetura diferente que apresenta uma série de desafios – principalmente quando se trata de assinar transações – muitos custodiantes não suportam a cadeia Binance e os DEXs.

Porém, a tecnologia excepcional de re-assinatura oferecida, permite suportar rapidamente à Binance Chain de maneira custodial. Assim, quando ocorrer da Binance Smart Chain entrar, ofereceremos suporte a todo e qualquer aplicativo ou novo tipo de ativo criado, além do que fazemos.

Além disso, acredita-se haver ainda uma oportunidade em jogo para custodiantes como a Trustology se beneficiarem da expansão do ecossistema DeFi. Pois, quando a KPMG, uma grande empresa de contabilidade, relatou em março que cerca de US$9,8 bilhões em criptomoeda foram roubados por hackers desde o ano de 2017, revelou uma necessidade ainda maior de custódia institucional.

Veja mais em: Notícias | Criptomoedas

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário