Urgente: Governo Trump proíbe o comercio de Petro em solo americano

A Petro, criptomoeda venezuelana que supostamente tem como lastro o petróleo, acaba de ter seu comércio formalmente proibido por residentes norte-americanos.

O anúncio veio depois de uma ordem executiva da administração Trump que coloca a criptomoeda na lista dos itens proibidos por um novo conjunto de sanções do país americano.

“Todas as transações relacionadas a, provisão de financiamento e outras negociações, por uma pessoa dos Estados Unidos e/ou nos Estados Unidos, com qualquer moeda digital ou token digital, que foi emitida por, para, ou em nome da Governo da Venezuela em/ou após 9 de janeiro de 2018, são proibidos a partir da data efetiva deste pedido”, diz a ordem executiva.

A Venezuela anunciou sua própria criptomoeda, a Petro, em fevereiro, como parte de um esforço para contornar as sanções internacionais e dar início à sua economia. O presidente venezuelano, Nicolas Maduro, afirmou na época que apenas anunciar a moeda arrecadou US$ 735 milhões para o país.

A Petro terá seu preço vinculado ao custo atual do petróleo, um movimento que o governo espera que ajude a estabilizar a moeda digital e evitar a especulação desenfreada. Agora, antes mesmo de sair do chão, a Petro vai enfrentar um enorme obstáculo ao ser excluída do mercado dos EUA.

Comprar, vender ou negociar Petros é agora ilegal, embora o Departamento de Estado tenha aconselhado a população americana a não investir na moeda desde que foi apresentada. O departamento a chamou de “outra tentativa de sustentar o regime de Maduro, enquanto saqueia os recursos do povo venezuelano”.

A ordem executiva desta segunda-feira baseia-se nas sanções contra a Venezuela desde agosto lançada pela a administração Trump. Citando a conduta do regime de Maduro, incluindo a sua repressão contra os manifestantes. A Casa Branca colocou sanções econômicas que, entre outras medidas, suspenderam às empresas dos EUA de negociar as dívida da Venezuela.

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário