Uso de pagamentos digitais dispara na América Latina

Uso de pagamentos digitais dispara na América Latina

A Visa, uma das maiores empresas de pagamentos, revelou um grande aumento no número de pagamentos digitais na América Latina, desde o inicio da crise trazida com o coronavírus. Esse crescimento ocorre junto com o aumento do uso de ativos digitais nessa localização.

Os países da América Latina, quando comparados aos países desenvolvidos, estão longe se tratando do método de pagamento digital no lugar do dinheiro em espécie. E, essa nova crise está estimulando esse método na região.

O diretor de produtos da Visa, Jack Forestell, revelou que, no mês de março, aproximadamente 13 milhões de clientes que possuem os cartões Visa usaram pela primeira vez a opção de compra digital. Isso pode estar acontecendo devido medidas protetivas de isolamento social para combate ao vírus. Visto que, a OMS e o CDC solicitaram o uso de pagamento sem contato durante a pandemia.

“Estamos vendo uma aceleração maciça em direção à adoção do comércio eletrônico”, Forestell declarou.

Interesse em Bitcoin

Além disso, cidadãos de El Salvador e Argentina estão mostrando mais interesse em utilizar bitcoin como uma opção para guardar dinheiro, realizar pagamentos internacionais ou para compras diárias. Em locais em que vem ocorrendo desvalorização rápida de moedas nacionais, o número de negociações de bitcoins está dando um grande salto. A exchange p2p LocalBitcoins revelou dados que confirmam esse crescimento do uso do ativo digital na região.

E esse interesse tem sido observado em todos os países da América Latina, entre eles: Argentina, Brasil, Chile, Peru e Venezuela. A velocidade da adoção do bitcoin na região ainda não é completamente certa. Pois, ele ainda é relativamente novo para que seu uso seja predominante na disputa como moeda.

Durante isso, as stablecoins denominadas em dólar promovem outra espécie de dolarização.

Federico Ogue, dono de uma exchange de criptomoedas argentina revelou que diversos usuários que estão fazendo compra de criptomoedas pela primeira vez, se interessam por stablecoins denominados em dólares, como por exemplo a Dai. Esses clientes costumam comprar pequenas quantidades inicialmente. Mas, com o grande número de novos usuários durante a pandemia, os números de negociação quase dobraram no mês de abril.

Veja mais em: Criptomoedas | Notícias

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário