Venda de sangue infectado por Coronavírus na darkweb

Venda de sangue infectado por Coronavírus na darkweb

Um seminário online foi realizado no dia 15 de abril pelo Chainalysis, para debater sobre o impacto do Coronavírus em crimes de criptomoedas. Enquanto o seminário acontecia, e a empresa anunciou que criminosos estavam vendendo na darkweb sangue supostamente infectado por coronavírus.

A pandemia afetou todo o mundo, e no mercado da darkweb não foi diferente. Houve uma baixa de 33% no volume de criptomoedas enviadas para endereços falsos. Os criminosos responderam de diversas formas à crise. Enquanto alguns continuavam como antes, outros ficaram ainda mais perigosos e entraram em novos níveis de imoralidade.

Um frequentador da darkweb alega estar vendendo sangue infectado por coronavírus, que de acordo com ele, foi injetado em morcegos. O dono da loja afirma que o sangue que está à venda, foi extraído de seu pai que se encontra hospitalizado. O fornecedor está cobrando 0,005 BTC por morcego infectado.

Não se sabe ao certo se o vendedor está de fato vendendo sangue infectado ou se está tentando iludir as vítimas em troca de bitcoins (BTC).

Venda de sangue infectado por Coronavírus na darkweb

Nem todos são ruins na darkweb

Entretanto, pode-se dizer que nem todos são tão imorais na darkweb. Alguns fornecedores da rede dão indícios de dignidade. Como em diversos locais a venda de supostas “curas” do COVID-19 foi proibida, o administrador do ransomware DoppelPaymer alegou que eles não estão realizando ataques contra hospitais no momento de crise.

Não se sabe com precisão se a crise recente do coronavírus causará um efeito mais profundo na área dos crimes em criptomoedas. Mas, por hora, o mundo das criptomoedas segue monitorando e combatendo transações ilícitas sempre que possível.

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário