África do Sul deve revisar sua postura sobre criptomoedas

África do Sul deve revisar sua postura sobre criptomoedas

Os reguladores sul-africanos estão agora repensando como classificam as criptomoedas, seguindo os altos níveis de interesse do varejo em criptomoedas no país.

Na sexta-feira, o Grupo de Trabalho Intergovernamental Fintech (IFWG) da África do Sul publicou um documento traçando um roteiro para a introdução de uma estrutura regulatória que se concentrará em provedores de serviços de criptomoedas.

Em 2014, o Tesouro Nacional emitiu comunicado alertando o público de que poderia negociar criptomoedas por sua própria conta e risco e não teria proteção legal ou recurso em caso de emissão. No entanto, com o mercado de criptomoedas da África do Sul subindo para um excesso de 2 bilhões de rands (US$ 147 milhões) em valor comercial diário no início deste ano – essa política anterior não pode ser mantida mais.

O documento explica que, embora uma estrutura regulatória esteja definida para ser implementada, a criptomoeda ainda permanece “inerentemente arriscada e volátil” e as perdas financeiras potenciais devido à atividade de negociação de criptomoedas são muito altas.

O artigo explica seis princípios que ajudarão na abordagem; implementar medidas proporcionais ao risco; adotando uma abordagem colaborativa para a regulação de ativos digitais; incentivo à alfabetização financeira digital; manter-se atualizado com as melhores práticas internacionais; e tendo uma “perspectiva baseada em atividades”.

Além disso, o documento apresenta 25 recomendações sobre como regulamentar a criptomoeda em relação à Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo, leis financeiras transfronteiriças e a aplicação das leis do setor financeiro.

Traduzido e adaptado de: grcworldforums.com

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *