Bitgrail contribuiu para perda de US$150 milhões

Bitgrail contribuiu para perda de US$150 milhões

As autoridades italianas consideram o fundador da Bitgrail responsável por atividades fraudulentas relacionadas ao hack de 2018 da plataforma, que resultou na perda de US$150 milhões.

Francesco Firano, o único diretor da agora extinta exchange de criptomoedas Bitgrail, é acusado de assumir fundos de clientes antes de relatar o roubo de criptomoedas da exchange.

De acordo com um anúncio da Polícia de Correios e Comunicações – uma unidade de crimes cibernéticos da Polícia Estadual da Itália – Firano manteve a plataforma intacta por meses, apesar de ter identificado uma grande violação de segurança envolvendo Nano criptomoeda:

“Ao manter a plataforma aberta, apesar de ter identificado retiradas ilícitas de moedas Nano, e não informar a equipe Nano […] FF continuou a atrair novos usuários, que passaram de 70.000 para cerca de 217.000 em poucos meses, beneficiando-se da notoriedade de ser a primeira e única exchange italiana a negociar com Nano. ”

Em seguida, Firano negou as alegações da polícia, alegando que as autoridades forneceram informações falsas sobre o assunto. Firano argumentou:

“A polícia postal se escondeu em vez de corrigir os artigos.”

O executivo também observou que não foi preso pela polícia.

O anúncio parece indicar que Firano retirou 230 Bitcoin (BTC), no valor de 1,7 milhão de euros, ou cerca de US$1,9 milhão, na época, apenas três dias antes de relatar o roubo maior do Nano ocorrido nos meses anteriores. O BTC foi rastreado até a conta pessoal de Firano na exchange The Rock Trading. Embora as autoridades tenham notado que houve tentativas de conversão do dinheiro, a maior parte dos fundos permaneceu nas contas da empresa. As autoridades declararam que os verdadeiros hackers que roubaram o Nano permanecem não identificados. Em liminar, Firano foi impedido de exercer cargos gerenciais ou de exercer atividades comerciais, mas sua liberdade de movimento não é restringida.

As notícias mais recentes seguem-se a anos de polêmica em torno do hack do Bitgrail – um dos maiores incidentes de hacking na Itália. Em fevereiro de 2018, Firano anunciou oficialmente que 17 milhões de Nano, anteriormente conhecidos como Raiblocks, foram roubados em um hack. Os desenvolvedores do Nano posteriormente forneceram um comentário oficial mostrando que Firano pediu que o livro razão do altcoin fosse alterado no dia seguinte após relatar o hack.

Em janeiro de 2018, o Tribunal de Falências italiano condenou Firano a devolver o máximo possível dos ativos aos seus clientes depois que as autoridades locais apreenderam mais de US$1 milhão em seus ativos pessoais.

Veja mais: Criptomoedas | Notícias

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *