Bitmain obtém aprovação para operação de mineração de Bitcoins nos EUA

A Bitmain, empresa chinesa de mineração de criptomoedas, recebeu luz verde para instalar um complexo de blocos de contêineres no condado de Walla, no oeste do estado americano de Washington. Um jornal local escreveu que a decisão estava em acordo completo dos três comissários envolvidos na situação.

No mês passado a Ant Creek estava em negociações com os oficiais para comprar terras no porto de Walla Walla. O co-fundador da Bitmain, Jihan Wu, foi listado como a pessoa que rege a empresa, com Jeff Stearns como diretor de operações. O acordo inicial incluiu a locação de 40 acres de terra, o que resultaria em 15-20 empregos em tempo integral. No entanto, algumas alterações foram feitas na oferta original. Atualmente, a empresa está recebendo 10 hectares de terra e a oportunidade de mostrar ao município seu potencial tecnológico.Se a Ant Creek aceitar a oferta, o contrato será executado até o final de 2018, após o qual a empresa terá a opção de comprar a terra. A empresa pagaria US$ 4.701,67 por mês e, se decidisse comprar a terra, precisaria pagar US$ 150.000. Além disso, US$ 2,5 milhões seriam gastos na construção de uma rodovia, uma vez que a terra está atualmente inacessível. O porto cobrirá o projeto de melhoria de acesso e os custos de expansão de água potável e proteção contra incêndio de US$ 140.000 e US$ 300.000, respectivamente. No entanto, Stearns não aceitou nem negou o acordo alterado ainda.

A decisão foi tomada em audiência pública, na qual muitos moradores se opuseram à ideia de mineração por criptomoeda. Segundo eles, permitir tal projeto beneficiaria pessoas anônimas enquanto usam a eletricidade de sua terra. Sem mencionar a Bitmain, Stearns explicou que a Ant Creek era “uma empresa de blockchain e inteligência artificial” para as pessoas.

Algumas pessoas falaram contra a mineração de bitcoin, enquanto outras disseram que a empresa estava se concentrando mais no blockchain para “suavizar a ideia”. Em um ponto, uma pessoa foi escoltada para fora da audiência. Um dos comissários até esclareceu que o blockchain tinha vários casos de uso, sendo um deles a segurança alimentar.

Les Teel, CEO da Columbia Rural Elétrica Association (REA), também disse que a empresa poderia facilmente cumprir a demanda da Art Creek sem colocar os moradores em risco. No entanto, quando chegou a hora de finalizar o acordo, o presidente da comissão, Peter Swant, disse: “Somos eleitos para fazer o que as pessoas gostariam que fizéssemos”. Dos 60 mil moradores, apenas 60 ou 70 pessoas se opunham ao acordo.

Deixe um comentário