Exchange Cryptopia, hackeada em janeiro, entra em liquidação e suspende operações

Exchange Cryptopia, hackeada em janeiro, entra em liquidação e suspende operações

Cryptopia, a exchange de criptomoedas atingida por uma grande invasão em meados de janeiro, entrou em liquidação e suspendeu as operações comerciais.

A notícia foi anunciada pelo síndico da Cryptopia, a Grant Thornton Nova Zelândia. A exchange confirmou a notícia no Twitter, bem como em seu site.

Possivelmente sinalizando mudanças em andamento, o site da Cryptopia entrou em manutenção ontem sem qualquer mensagem para o público em suas plataformas de mídia social. Foi notado pela primeira vez por um Redditor que perguntou se a exchange havia sido hackeada novamente.

Em janeiro, Cryptopia ficou offline por alguns dias antes de declarar no meio do mês que havia “sofrido uma violação de segurança que resultou em perdas significativas”. Uma empresa de análise de dados blockchain estimou após o ataque que até US$ 16 milhões em ethereum e tokens ERC-20 poderiam ter perdido. Mais tarde, em março, a exchange reiniciou os serviços de negociação, mas ainda teve problemas bancários.

A Grant Thornton disse que o hack tem um impacto “severo” no comércio da empresa e, apesar dos esforços da administração para reduzir custos e fazer com que a empresa retorne à lucratividade, foi decidido que a liquidação é o melhor caminho para todos os interessados.

David Ruscoe e Russell Moore, da Grant Thornton, ajudarão a Cryptopia a garantir seus ativos “para o benefício de todos os interessados”, de acordo com o anúncio de hoje.

“Enquanto esse processo e as investigações ocorrem, a negociação na na plataforma de câmbio de criptomoedas é suspensa”, disse Grant Thornton, acrescentando que a complexa investigação levará “meses em vez de semanas”.

Exchange Cryptopia, hackeada em janeiro, entra em liquidação e suspende operações
Exchange Cryptopia, hackeada em janeiro, entra em liquidação e suspende operações.

Comentando o anúncio do Twitter de Cryptopia, muitos clientes expressaram frustração por não terem permissão para sacar fundos desde o hack, com alguns pedindo também que os credores se organizassem e tomassem medidas legais contra a exchange.

Ruscoe disse:

“Percebemos que os clientes da Cryptopia vão querer que esse assunto seja resolvido o mais rápido possível. Conduziremos uma investigação completa, trabalhando com várias partes interessadas, incluindo a gerência e os acionistas, para encontrar a solução que seja do melhor interesse dos clientes e das partes interessadas. ”

A Grant Thornton deve apresentar um relatório inicial sobre o caso na próxima semana no site do New Zealand Companies Office.

Traduzido e adaptado de : coindesk.com

Deixe um comentário