Fundo chinês de US$ 1,6 bilhão é lançado para apoiar startups de blockchain

As startups de blockchain na China agora têm uma nova fonte de financiamento que podem ser usadas.

No ultimo dia 09, a Xiong’An Global Blockchain Innovation Fund foi lançado com US$ 1,6 bilhão (10 bilhões de yuans) para apoiar startups de blockchain chinesas promissoras. O anúncio ocorreu durante a inauguração do Parque Industrial Hangchain Blockchain na China. O parque industrial, que também servirá como um centro de incubação para as startups, está localizado em um dos maiores polos de tecnologia da China, a cidade de Hangzhou na província de Zhejiang, lar do gigante do e-commerce Alibaba.

O Xiong’An foi financiado conjuntamente pelo Governo do Distrito de Yuhang, o Comitê Administrativo da Cidade de Ciência e Tecnologia do Futuro e o Hangzhou Yanqi Investment Management Co.

Xu Xiaoping, um dos investidores anjo mais famosos da China, servirá como conselheiro do fundo. Xu é o fundador da ZhenFund, uma empresa de capital de risco que investiu em projetos de blockchain como Stream e Lino. Li Xiaolai, um proeminente investidor chinês Bitcoin e uma figura bem reconhecida no espaço da criptomoeda administrará o fundo.

O anúncio do fundo e a abertura do parque industrial ainda estabelecem Hangzhou como um centro crescente da tecnologia blockchain na China. O governo de Hangzhou atribuiu grande importância à tecnologia blockchain, ficando atrás apenas das tecnologias de inteligência artificial e realidade virtual.

Notavelmente, o anúncio do fundo chegou apenas algumas semanas depois que a Associação de Investimentos da China (IAC), afiliada ao governo, rescindiu seus planos de estabelecer um centro de financiamento de blockchain devido a conflitos estruturais internos.

Várias empresas têm feito uma oferta para apoiar a tecnologia blockchain na China. Em fevereiro de 2018, a JD.com, rival do Alibaba, anunciou planos para lançar um novo programa de aceleradores com sede em Pequim para inteligência artificial e startups de blockchain. E em setembro de 2017, o banco estatal da China (não confundir com o Banco Popular da China, o banco central do país) apresentou um pedido de patente para um processo de escalonamento de sistemas blockchain.

Apesar de uma onda de entusiasmo para mergulhar no espaço blockchain, todas essas empresas terão que lidar com a incerteza regulatória no país. Nos esforços para conter a saída de capital e a corrupção, a China tem reprimido cada vez mais as moedas digitais, as ofertas iniciais de moeda (ICOs) e o comércio de criptomoedas.

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário