Irã desenvolve sua própria moeda digital

O Irã afirma que um modelo experimental de criptomoeda iraniana foi desenvolvido com base na tecnologia blockchain, e pode facilitar significativamente as transações financeiras no país quando criado.

O ministro iraniano das Comunicações e Tecnologia da Informação, Mohammad Javad Azari Jahromi, disse que a criptomoeda iraniana está sendo desenvolvida sob um projeto conjunto envolvendo o Instituto de Pesquisa em TIC do ministério, o Instituto de Pesquisa Monetária e Bancária do Banco Central do Irã e o banco estatal Post Bank.

“Na semana passada, em uma reunião conjunta destinada a explorar o progresso do projeto, foi anunciado que o modelo experimental está pronto”, disse ele, segundo um relatório da Agência de Notícias da República Islâmica em língua persa (IRNA).O anúncio foi feito depois que o banco central proibiu no domingo os bancos iranianos de negociarem criptomoedas estrangeiras, incluindo Bitcoin.

“Bancos e instituições de crédito e câmbio devem evitar qualquer venda ou compra dessas moedas ou tomar qualquer medida para promovê-las”, disse uma circular do banco central, com base na proibição de criptomoedas feitas pelo órgão iraniano contra a lavagem de dinheiro em dezembro.

A blockchain subjacente da criptomoeda elimina a necessidade de terceiros e permite transações instantâneas, irrevogáveis ​​e seguras.

O Irã aderiu à crescente lista de nações para reprimir as criptomoedas, incluindo a Índia e o Paquistão, que fizeram movimentos semelhantes no início de abril.

Azari Jahromi diz que a proibição do CBI não cobre moedas digitais domésticas e isso não significa que o Irã resistirá às criptomoedas, o que poderia moldar o futuro do mundo das finanças.

“A proibição do CBI às transações com Bitcoins foi feita a partir de preocupações como [a possibilidade de] fuga de moeda estrangeira e que a [volatilidade no mercado de moedas virtuais] poderia levar as pessoas a perderem seus ativos. Mas o Bitcoin não é a única criptomoeda”, disse o ministro.

Dezenas de países como China, Rússia e Cingapura já desenvolveram suas próprias moedas digitais, pois atendem às necessidades de anonimato do consumidor e eficiência das transações.

A criptomoeda iraniana será apoiada por ativos, assim como a criptomoeda malaia, que é apoiada pelo ouro, e a venezuelana, que é apoiada pelo petróleo, disse Azari Jahromi.

Referindo-se a relatos da mídia ocidental de que o Irã está desenvolvendo criptomoedas como forma de contornar sanções financeiras, evitando as tradicionais avenidas financeiras, o ministro disse: “Todas as criptomoedas são capazes de contornar as sanções porque não estão sob supervisão do órgão regulador financeiro dos EUA”. as moedas digitais nacionais são naturalmente capazes disso. ”

Deixe um comentário