Mercado cripto: Veja as cidades que aceitam o Bitcoin

cidades que aceitam o bitcoin

As criptomoedas estão cada vez mais tomando sua parte no mercado financeiro. Dessa forma, foi elaborado um ranking de cidades que aceitam o Bitcoin. Quando aceitamos trabalhar pela cripto, entregamos o trabalho e recebemos o pagamento. Porém, e no caso em que querermos usar o Bitcoin? Essa é a importância da adoção da moeda virtual.

Conforme as criptos foram se expandindo e mostrando segurança, cada vez mais foram sendo aceitas no mercado tradicional. Assim surgiram cidades que aceitam o Bitcoin como forma de pagamento. Devemos apontar ainda que não é somente o Bitcoin que faz sucesso, pois o Litecoin e o Ethereum também têm seu espaço.

Um fato curioso da aceitação das criptos pelas cidades é sua não trivialidade. Locais extremamente tecnológicos são tidos como candidatos óbvios para a adoção das criptos. Porém, temos outras criptocidades que nem sonhávamos que apareceriam na lista.

Como exemplo temos São Fancisco e Seul como esperadas, e Praga, Bangcoc e Buenos Aires como inesperadas. A pesquisa foi realizada pela FORBES com o auxílio do Coinmap em 2018.

Cidades que mais aceitam o Bitcoin

Foi encontrado pela pesquisa que Praga possui a maior quantidade de locais que aceitam criptos como pagamentos. Por conta disso, foi registrado que um turista optou pelas férias na cidade só por conta desse fato. Ele possuía bastante criptos em sua posse.

Bueno Aires, outra cidade inesperada, também conta com um excelente número de negociações com Bitcoin. No entanto, devemos levar em conta que a América do Sul é uma região densa em BTC. Podemos incluir Bogotá e São Paulo nessa lista também.

São Francisco não surpreende ninguém ao entrar no ranking de cidades que mais aceitam o Bitcoin. Um fato curioso é que Felix Weis, que aceitou passar 18 meses apenas com criptos, disse que foi a melhor cidade para ele.

Constam nessa lista Madri na Espanha e Nova York nos EUA. Regiões da África e Oriente Médio ficaram de fora do top 10 da FORBES.

Outro dado interessante da pesquisa feita pela FORBES foi que as transações na Venezuela estavam bastante intensas quando o assunto era Bitcoin. Ao que tudo indica, a população estava tentando salvar patrimônio frente à inflação.

O que isso muda para o Bitcoin?

Um fato que devemos lembrar, porém, é que o BTC tem propriedade de escassez. Dessa forma, em algum momento ficará difícil minerá-lo, o que tornará seu valor extremamente alto. Além disso, dado as inúmeras formas que podemos usar essa cripto, ela ainda continuará interessante por muitos anos.

No início de 2020 já presenciamos algumas mineradores reclamando da dificuldade em minerar BTC. Um empresário brasileiro que tinha negócio no Paraguai, por exemplo, comentou o caso após vir a falência.

Além disso, com o Halving do Bitcoin que ocorre em ciclos precisos, a escassez só tende a aumentar. Dito isso, quanto mais o Bitcoin for utilizado pelas pessoas agora, mais ele se torna popular, e no futuro, quando for escasso, será amplamente procurado. Quem detiver essa moeda virtual conseguirá altos rendimentos.

Fonte: FORBES

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário