Início»Criptomoedas»Os venezuelanos terão que pagar as taxas de passaporte com a Petro

Os venezuelanos terão que pagar as taxas de passaporte com a Petro

11
Compartilhamentos
Pinterest Google+

A partir da semana que vem, os venezuelanos terão que pagar as taxas de passaporte com a petro, a controversa criptomoeda apoiada pelo Estado que é supostamente apoiada pelo petróleo. Isso foi anunciado em uma coletiva de imprensa na sexta-feira, 5 de outubro, pelo vice-presidente do país, Delcy Rodriguez, antes do lançamento oficial da moeda, em novembro. Isto segue um comunicado de imprensa semelhante do presidente Nicolas Maduro, que afirmou que as compras de petróleo serão feitas agora com petros (PTR).

Os venezuelanos terão que pagar as taxas de passaporte com o Petro
Os venezuelanos terão que pagar as taxas de passaporte com o Petro

Segundo Rodriguez, os novos passaportes custarão dois petros, enquanto as extensões podem ser compradas a metade disso. O novo preço de registro é quatro vezes o salário mínimo mensal (cerca de 7.200 bolívares), o que o tira das mãos da média venezuelana. A aplicação das novas regras tornará ainda mais difícil para os venezuelanos viajarem para fora do país. Para os venezuelanos que vivem no exterior, o custo da nova emissão será de US$ 200, enquanto as extensões serão de US$ 100.

A Venezuela tem lutado contra a hiperinflação desde 2014, que viu sua moeda nacional, o bolívar, desvalorizar rapidamente em valor. Precisando de uma moeda para preencher o vazio criado pelo bolívar, alguns venezuelanos mudaram para criptomoedas como bitcoin e, depois, dash, que se tornou mais confiável como reserva de valor e meio de troca, para combater os efeitos colaterais da inflação desenfreada e o bolivar em queda livre.

Vendo a extraordinária ascendência que as criptomoedas estavam desfrutando, especialmente a aceleração, o governo venezuelano decidiu emitir uma criptomoeda apoiada pelo petróleo, a Petro, em dezembro de 2017.

Embora a criação da criptomoeda apoiada pelo Estado tenha criado um ambiente mais favorável para o florescimento de tokens não centralizados no país, ela também veio com todas as formas de oposição e controvérsia.

Em um anúncio anterior na semana passada, o presidente venezuelano alegou que a Petro estaria listada nas seis principais exchanges de criptomoedas para negociação, mas isso não impediu que ela cortejasse a polêmica. Após o anúncio, o desenvolvedor do ethereum, Joey Zhou, compartilhou um tweet no qual ele chamou a criptomoeda estatal de “clone flagrante”, pelo menos de acordo com seu relatório.A adoção do dash, no entanto, tem aumentado, tanto que Ryan Taylor, CEO do Dash Core Group, classificou o país como o segundo maior mercado em dash.

Traduzido e adaptado de : ccn.com

Siga-nos nas redes sociais
Canal no Telegram Siga-nos no Facebook Acompanhe nosso Twitter Siga-nos no Instaram
Artigo anterior

As chances da SEC aprovar os ETFs de Bitcoin aumentam

Próximo artigo

Governo chinês deve lançar sua própria criptomoeda diz Banco Popular da China

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.