Polícia japonesa prende hacker de 18 anos por roubar US$ 134 mil

Polícia japonesa prende hacker de 18 anos por roubar US$ 134 mil

Promotores locais no Japão acusaram um homem de 18 anos de roubar criptomoeda. Segundo um relatório publicado em uma agência de notícias local, o Departamento de Polícia Metropolitana (MPD) do Japão está acusando o jovem de roubar 15 milhões de ienes (US$ 134.310) do roubo da MonaCoin (MONA) – um hard fork Litecoin.

De acordo com o relatório, esta é a primeira vez que as autoridades locais acusam um hacker por roubo de criptomoeda no Japão. O jovem hacker é acusado de violar a Monappy, um serviço de carteira online usado por investidores para armazenar seus ativos digitais no ano passado.

O adolescente supostamente aproveitou a vulnerabilidade do site, graças a falhas relacionadas a sobrecargas de acesso. Primeiramente, ele enviou repetidos pedidos de transferência para si mesmo durante um curto período e sobrecarregou o sistema em sobrecarga.

Uma vez que ele subjugou os servidores, seu equilíbrio aumentou rapidamente devido à consistência de suas ações. Ao perceber que sua conta tinha sido aumentada para o valor que ele desejava, ele transferiu a criptomoeda para um serviço de carteira de terceiros, trocou-os por moedas digitais populares como Bitcoin e os trocou em fiduciária.

O suspeito acabou sendo preso e, durante o interrogatório, ele foi citado dizendo: “Eu senti como se tivesse encontrado um truque secreto e pensei em tirar todos os MonaCoins”.

TOR: A FERRAMENTA PERFEITA PARA HACKERS CRIPTO

O navegador Tor foi desenvolvido como uma ferramenta de segurança para os militares dos Estados Unidos para comunicação segura e confidencial. Ele criptografa o conteúdo comunicado de sua origem e o encaminha por meio de vários servidores antes de enviar para o destino apropriado.

Tor ajuda as pessoas a proteger sua identidade online, mas, para os criminosos, pode fazer muito mais. Tor tornou-se uma ferramenta popular usada por hackers para roubar criptomoedas. É uma propriedade tão quente que alguns hackers criam um site de proxy Tor para roubar a criptomoeda de ransomware de outros criminosos cibernéticos.

O hacker conseguiu acessar o sistema da Monappy com o uso do smartphone e do navegador Tor. De acordo com o relatório da polícia, a operadora da carteira percebeu no dia 1º de setembro que seu saldo geral da MonaCoin estava reduzindo drasticamente. Temendo uma violação de segurança, a operadora imediatamente iniciou uma investigação sobre o assunto.

Ainda assim, enquanto o suspeito conseguiu cobrir seus rastros usando o software Tor, os policiais japoneses puderam rastrear efetivamente suas ações graças aos dados e registros de comunicação que ele deixou nos servidores nativos da carteira (Monappy). Mais de 7.000 usuários do serviço de cripto-carteira foram afetados, mas a plataforma concordou em compensá-los por suas perdas.

Polícia japonesa prende hacker de 18 anos por roubar US$ 134 mil.

AS CARTEIRAS DE CRIPTO PRECISAM DE ADERIR A MEDIDAS DE SEGURANÇA MAIS FORTES

O roubo mostra a facilidade de violação de empresas de criptomoedas no Japão, apesar do aumento da adoção de criptomoedas e da estrutura regulatória robusta. Também mostra a necessidade de medidas e práticas de segurança mais fortes por meio de plataformas de ativos digitais e operadores de carteira.

Embora esta possa ser a primeira vez que um serviço de carteira de ativos digitais é violado no Japão, as exchanges de criptomoedas no país sofreram muitos hacks de alto perfil no passado. O Coincheck perdeu mais de US$ 530 milhões em tokens NEM no ano passado. Após a invasão, a exchange foi adquirida por uma corretora on-line Monex, embaralhou sua equipe de gerenciamento e retirou as empresas de privacidade, como a ZCash, que a impedem de cumprir os regulamentos contra lavagem de dinheiro.

Traduzido e adaptado de : ccn.com

Deixe um comentário