Primeiro empréstimo através da tecnologia blockchain fechado pela Porsche

Primeiro empréstimo através da tecnologia blockchain fechado pela Porsche

O banco usou a tecnologia blockchain para facilitar vários tipos de empréstimos corporativos no passado.

O principal fabricante de carros esportivos Porsche e o grupo de serviços financeiros Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (BBVA) anunciaram o fechamento de um empréstimo corporativo de € 150 milhões (aproximadamente US$ 170 milhões) usando a plataforma blockchain do banco espanhol.

O empréstimo, que o BBVA afirma ser o “primeiro empréstimo a prazo de aquisição já contratado através da tecnologia blockchain”, foi concedido à Porsche Holding Salzburg, a maior distribuidora automotiva da Europa. O empréstimo facilitará as “aquisições estratégicas na rede de distribuição varejista na Europa e na Ásia”.

A Porsche é agora a primeira empresa não espanhola a usar o blockchain do BBVA para fechar um empréstimo corporativo.

Primeiro empréstimo através da tecnologia blockchain fechado pela Porsche.

Em abril, o BBVA anunciou que havia concluído uma “transação de empréstimo corporativo global” de 75 milhões de euros, usando o blockchain do início ao fim. Durante este teste piloto, o BBVA fez uma parceria com a empresa global de tecnologia e consultoria Idra para ver se a tecnologia blockchain poderia aumentar a transparência relacionada ao processo de empréstimo corporativo.

Em maio, o BBVA fez uma parceria com o Mitsubishi UFJ Financial Group (MUFG), do Japão, e o BNP Paribas, da França, para completar um empréstimo de € 150 milhões concedido à Red Eléctrica Corporation, operadora nacional de redes elétricas da Espanha.

Enquanto o BBVA reivindicou que o empréstimo da Red Eléctrica Corporation seria o primeiro “acordo de empréstimo consorciado baseado em blockchain” e que era a primeira vez que um acordo na vida real era concluído, o acordo realmente ocorreu na rede de testes Ethereum em vez da mainnet.

No futuro, o BBVA pretende usar a tecnologia blockchain para aumentar a utilidade e a transparência de seus “produtos principais”, como o financiamento corporativo, e desenvolver um modelo de financiamento “Do It Yourself (ou DIY) para seus clientes empresariais e corporativos”.

Traduzido e adaptado de : ethnews.com

Deixe um comentário