Rede Grin atingida com 51% de ataque

Rede Grin atingida com 51% de ataque

Grin, uma criptomoeda com foco na privacidade construída no protocolo Mimblewimble, acaba de sofrer um ataque de 51% em seu blockchain.

De acordo com um tweet do grupo de mineração de criptomoedas, 2Miners, um grupo desconhecido acumulou 57,4% do poder total de hash da rede Grin (GRIN) na noite de sábado. A 2Miners tinha controle de apenas 19,1% do hash power da GRIN, enquanto as minas de faísca ficaram em terceiro com 18,9%.

Dados do GrinScan mostram que os atacantes conseguiram reorganizar pelo menos um bloco bifurcado, às 23:17 UTC de 7 de novembro. O grupo de mineração desconhecido também aumentou seu controle desde sábado, comandando 58,1% da taxa de hash do GRIN no momento da publicação. 2Miners aumentou para 24,6%, enquanto os mineradores caíram para 11,3%.

Quando um grupo de mineradores controla mais da metade do poder de mineração de uma rede, isso pode afetar a organização dos blocos, potencialmente causando volatilidade no preço do token e interrompendo a confiança no blockchain. No entanto, um grupo de mineração com controle de 51% ou mais da taxa de hash de uma rede não significa necessariamente que tenha más intenções – o sparkpool teve até 60% da potência de hash da rede antes e, segundo notícias, não interrompeu a produção de novos blocos GRIN.

O token GRIN permanece relativamente inalterado nas notícias, caindo apenas 1,3%.

O blockchain Ethereum Classic (ETC) sofreu pelo menos três ataques de 51% em agosto, com invasores causando a reorganização de milhares de blocos. Ao contrário do blockchain ETC – que custaria aos invasores mais de US$ 7.000/hora para controlar mais da metade do poder de hash do blockchain – manter 51% na rede GRIN custa apenas US$ 75 atualmente, de acordo com o recurso online Crypto51.

Veja mais em: Blockchain | Criptomoedas | Notícias

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário