TradeSatoshi para de operar e há suspeita de golpe

TradeSatoshi

Uma corretora bastante famosa no mundo cripto está encerrando suas atividades. Estamos falando da TradeSatoshi, uma empresa com sede no Reino Unido. Fundada em 2015, a proposta da corretora era bastante simples e direta: trabalhar com “shitcoins”.

Para quem não entende muito do criptomercado, uma shitcoin é uma criptomoeda que possui baixo valor. Isso pode acontecer, por exemplo, quando seu projeto é descontinuado ou até mesmo duvidoso. Além disso, quando paramos para refletir um pouco, uma empresa que atua nessa área não deve ter uma vida fácil.

Porém, nada justifica a sua “saída triunfal” do mercado. Ela está sendo acusada de aplicar golpe em seus clientes de um jeito nada inovador. De acordo com o anúncio da empresa, seus clientes têm até o dia 1º de março para sacar o dinheiro da corretora. No entanto, passado a dada, não existirá nenhuma forma de recolher o valor que está estocado lá.

Desde o dia em que o anúncio foi feito até a data limite para saque, contabilizam-se 10 dias. Porém, a empresa não só deu um prazo apertado para seus clientes, mas também exigiu uma confirmação completa de conta. Adivinha o que isso significa? Para realizar a confirmação completa de conta, o chamado KYC, são necessários 2 meses, ou seja, ninguém irá sacar nada da plataforma.

Além disso, para provar que ela está agindo de má fé, afirmou também que não estaria aceitando depósitos na plataforma. Porém, quando o sistema foi consultado, a opção estava disponível para os clientes.

TradeSatoshi está copiando golpes de outras empresas

O padrão de comportamento que a TradeSatoshi está apresentando não é novo no mercado. Na verdade, é uma técnica tão comum que possui até apelido: exit scam. O exit scam é caracterizado pelo não pagamento ao que é devido para seus clientes, por parte da empresa, quando esta encerra suas atividades.

No caso da TradeSatoshi, a tática utilizada foi pedir o KYC completo para seus clientes, algo muito inusitado para uma empresa de seu porte. Na verdade, quando olhamos a proposta da empresa, vemos que as palavras “anonimato” e “privado” aparecem várias vezes. Assim, pedir uma verificação de conta é algo fora dos padrões para ela, indo contra seus princípios.

Essa requisição, como era de se esperar, não foi nem um pouco bem aceita pela comunidade cripto. Além disso, muitas pessoas estão afirmando que irão mover processos contra seus responsáveis.

Tudo indicava o fim

A empresa veio apontando seu fim iminente, mas só quem estava antenado pôde se precaver desse desfecho. Em 24 de julho de 2018, a sede no Reino Unido foi desfeita. Além disso, no site da corretora aparece um local em Hong Kong, mas quando foi checado não havia nada lá.

O grande problema disso tudo é a ideia de que corretora é carteira de criptomoeda. De fato, uma corretora passa muito longe disso. É uma boa prática no mercado cripto manter suas moedas em uma carteira física.

Lembre-se sempre de que uma exchange serve para compra e venda de criptoativos e não para custódia. Isso pode evitar muitas dores de cabeça para você no futuro.

Fonte: CryptoSlate

Compartilhe este post

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.