Venezuela diz que a proibição de Trump fez duplicar os investidores do Petro

O secretário executivo do Blockchain Observatory da Venezuela, Daniel Peña, recentemente fez uma entrevista para o jornal Cuatro F do país, no qual ele afirma que a proibição de Donald Trump para o Petro (PTR) era publicidade gratuita para a criptomoeda apoiada pelo petróleo. Tanto assim, supostamente ajudou a dobrar o número de investidores interessados.

Em um comunicado o presidente dos EUA, Donald Trump, emitiu uma ordem executiva que proíbe cidadãos norte-americanos ou qualquer residente dos Estados Unidos de comprar, trocar ou negociar ativos digitais relacionados ao governo venezuelano.

Em sua entrevista, Peña revelou que ele vê criptomoedas e tecnologia blockchain como “passos importantes na revolução da humanidade”. Ele afirmou que sabe que a Venezuela está indo na direção certa com o Petro, como Donald Trump teve tempo para emitir uma ordem executiva sobre ele. Quando perguntado como as palavras de Trump afetaram a criptomoeda apoiada pelo petróleo, ele afirmou (traduzido grosseiramente):

“Eu respondo como Earle Herrera [jornalista venezuelano] quando ele disse que eu não sei nada sobre criptomoeda, nem tenho clareza sobre a evolução da moeda digital; Mas se o presidente dos EUA, Donald Trump, der tempo, imagine isso. Uma pessoa tão ocupada dando seu tempo, isso significa que estamos no caminho certo.”

Peña afirmou ainda que o governo do país estava se preparando para um ataque dos EUA ao Petro. O movimento de Trump, ele disse, não afetou o Petro, mas serviu como um “bumerangue para o governo dos EUA”, já que “despertou mais interesse em adquirir o Petro no mundo”.

O secretário executivo observou que antes das palavras de Trump, o Petro tinha “mais ou menos 400 clientes” por dia, e que após as palavras do presidente o número subiu para 800. A venda da Petro durará até que cada token tenha sido comprado.

O líder venezuelano Nicolás Maduro, no mês passado, afirmou que a pré-venda do Petro arrecadou US$ 5 bilhões. Esses números, de acordo com as informações disponíveis atualmente, não batem com a realidade se levarmos em conta que um total de 38,4 milhões de tokens estavam sendo vendidos a US$ 60 cada. Isso significa que Maduro pode ter falsificado esses números.

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário