CEO da Coinbase: Apple rejeitou novas criptomoedas e recursos de DeFi

CEO da Coinbase: Apple rejeitou novas criptomoedas e recursos de DeFi

A Apple bloqueou alguns recursos do Coinbase, diz Brian Armstrong, CEO da exchange de criptomoedas.

Armstrong disse que a empresa censurou certos recursos relacionados à criptomoedas que permitiam ganhar dinheiro por meio da criptomoeda e acessar aplicativos de finanças descentralizadas (DeFi) em seu aplicativo móvel.

Armstrong disse que a Coinbase tentou discutir o assunto através dos canais regulares da Apple. “Também falei diretamente com a liderança da Apple para solicitar um diálogo, mas parece que estamos em um beco sem saída”, disse o CEO no Twitter.

Em uma série de tweets, Armstrong disse que outras empresas também enfrentaram problemas semelhantes, mas não “se manifestaram por medo de retaliação”. Ele acrescentou que escolheu “continuar o diálogo abertamente” e queria saber “por que a Apple impediria as pessoas de ganhar dinheiro com criptomoedas durante uma recessão”. Este produto Coinbase que a Apple supostamente bloqueou é o Coinbase Earn , que permite aos usuários pedir dinheiro emprestado com seu Bitcoin como garantia.

“Além de ganhar, eles nos disseram que não podemos fornecer uma lista de aplicativos descentralizados para usuários no iOS”, continuou Armstrong  . Ele observou como o financiamento descentralizado tem apresentado rápido crescimento ultimamente e que permitiu que mais pessoas “tenham acesso a um mercado de crédito global para obter um empréstimo ou ganhar juros”.

Em seu site, a Apple afirma que “os aplicativos podem facilitar transações ou transmissões de criptomoedas em uma exchange aprovada, desde que sejam oferecidos pela própria exchange”. A Coinbase usa um navegador dapp para esse propósito.

Armstrong argumentou que aplicativos descentralizados e aplicativos financeiros descentralizados são, em última análise, apenas sites que podem ser acessados ​​por meio de um navegador. “Portanto, a Apple está essencialmente dizendo que você não pode fornecer aos usuários uma lista de sites que eles podem visitar por meio de um aplicativo”, continuou ele.

Ele disse que o motivo fornecido pela Apple foi que “a Coinbase oferece transações de criptomoedas em software não embutido no aplicativo, o que não é apropriado para a App Store”.

Armstrong alertou que a ação da Apple lembra os anos 1990, quando a Microsoft forçou os usuários a usar o Internet Explorer, o que levou a questões antitruste com a empresa.

Traduzido e adaptado de: ibtimes.com

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário