Chefe do FMI pede mais regulamentação para criptomoedas

Chefe do FMI pede mais regulamentação para criptomoedas

Os governos mundiais devem fazer mais para monitorar de perto as criptomoedas e suas tecnologias subjacentes de contabilidade para manter a estabilidade do sistema bancário global.

Esta convocação para uma ação concertada sobre regulamentação foi feita pela diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, que disse que tecnologias financeiras disruptivas, como moedas digitais, estão “sacudindo” o sistema bancário e devem ser observadas mais de perto.

“Eu acho que o papel dos disruptores e qualquer coisa que esteja usando a tecnologia de contabilidade distribuída, quer você chame isso de criptomoedas, ativos, moedas, ou qualquer outra coisa … isso está claramente agitando o sistema”, disse ela.

Lagarde advertiu que estas mudanças monumentais da indústria financeira devem ser acompanhadas de regulamentação para manter a estabilidade e a confiança no sistema.

“Não queremos inovações que abalariam tanto o sistema que perderíamos a estabilidade necessária”, disse ela.

Lagarde disse que as empresas de tecnologia que entram no espaço bancário “com força” devem estar sujeitas à regulamentação, uma referência óbvia à Apple, que o fez no mês passado. A Apple agora também joga o jogo financeiro e lançou seu próprio cartão de crédito virtual e físico em parceria com a Goldman Sachs.

“Eles terão que ser responsabilizados para que possam ser totalmente confiáveis”, disse ela.

Analistas observaram que as empresas de tecnologia estão vendo cada vez mais o setor bancário como um mercado multitrilionário pronto para a interrupção tecnológica. Somando-se às preocupações sobre o Bitcoin e outras criptomoedas, a notícia é que o Facebook está desenvolvendo sua própria criptomoeda.

Os bancos responderam com suas próprias tentativas de abraçar as criptomoedas. O JPMorgan Chase está testando um token digital chamado “JPM Coin” que irá liquidar instantaneamente os pagamentos entre os clientes. A Goldman Sachs está expandindo seu banco de varejo digital chamado Marcus no exterior.

Os comentários de Lagarde são uma continuação de uma linha de pensamento semelhante que ela fez em Cingapura em novembro de 2018. Aqui, Lagarde defendeu um “banco central para moedas digitais” para que as moedas digitais se tornassem um passivo do Estado e não de uma empresa privada.

Chefe do FMI pede mais regulamentação para criptomoedas
Chefe do FMI pede mais regulamentação para criptomoedas.

Ela disse que vários bancos centrais ao redor do mundo estão considerando seriamente essas idéias. Entre eles estão Canadá, China, Suécia e Uruguai.

“Eles estão adotando mudanças e novos pensamentos – como de fato é o FMI”, disse ela.

O FMI divulgou mais tarde um novo artigo sobre os prós e contras da moeda digital do banco central. O documento enfoca os efeitos domésticos e não transfronteiriços da moeda digital.

Ela também disse que as criptomoedas são transparentes “e se você é especialista em tecnologia, você pode confiar em seus serviços”.

“Ainda assim, não estou totalmente convencida. A regulamentação adequada dessas entidades continuará a ser um pilar de confiança”, disse ela.

Traduzido e adaptado de : en.businesstime.cn

Deixe um comentário