Banco bilionário lança serviço de custódia de criptomoedas

Banco bilionário lança serviço de custódia de criptomoedas

Uma das instituições financeiras mais antigas do Japão, o banco Nomura, anunciou o lançamento do Komainu, um serviço de custódia de ativos digitais destinado a instituições financeiras, em parceria com o gerente de fundos de criptomoedas, Coinshares e fabricante de carteira de hardware, Ledger.

O serviço visa oferecer uma plataforma segura e compatível com KYC / AML para que as instituições armazenem seus ativos de criptomoedas.

O Nomura, com mais de US$ 230 bilhões em ativos sob gestão (AUM), representa o maior banco ainda a se tornar um prestador de serviços de custódia. Os grandes bancos estão finalmente sujando as mãos no espaço de ativos digitais, competindo com empresas nascentes como Coinbase e Gemini.

Serviço de custódia Komainu

O projeto Komainu, licenciado pela Jersey Financial Service Commission, será liderado pelo CEO e co-fundador da Coinshares, Jean-Marie Mognetti. O conselho executivo é composto por diferentes especialistas na área financeira, incluindo o ex-gerente de fundos do Credit Suisse Group AG , Kenton Farmer, como chefe de operações.

O ex-chefe de defesa cibernética do Banco Santander, Andrew Morfill, será o diretor de informações e Susan Patterson, ex-UBS e o Credit Suisse chefiará o departamento de regulamentação e conformidade.

Banco bilionário lança serviço de custódia de criptomoedas
Banco bilionário lança serviço de custódia de criptomoedas.

Mognetti acredita que a plataforma Komainu abrirá o campo para que mais parceiros industriais se juntem ao campo de cripto ativos, aproveitando a experiência de todos os três parceiros. Ele disse ainda:

“A Komainu preenche a lacuna, trazendo experiência e recursos financeiros para os clientes institucionais sentirem-se confiantes de que seus ativos estão em boas mãos”.

Foco na conformidade com KYC / AML

O investimento institucional vincula fortemente a escolha dos serviços de custódia de ativos digitais à sua capacidade de garantir o capital levantado e as regulamentações observadas , afirmou o CEO da Ledger , Pascal Gauthier, em comunicado. Ele acrescentou ainda que a falha no cumprimento de qualquer um desses requisitos “armaria os ativos digitais contra eles”.

As vantagens competitivas que a Komainu traz para as instituições, ou seja, conformidade com KYC / AML e serviços seguros de armazenamento a frio, têm como objetivo preencher essa lacuna entre finanças tradicionais e ativos digitais. Jezri Mohideen, diretor global de digital da Nomura , tem como objetivo criar o serviço de custódia “como uma solução regulamentada e segura de custódia de ativos digitais” para seus clientes.

Esforços adicionais no desenvolvimento de Blockchain

O investimento do Nomura Bank no projeto Komainu sinaliza um interesse crescente no espaço de ativos digitais pelas maiores instituições financeiras do mundo. Anteriormente, a Intercontinental Exchange, a Bakkt e a Fidelity Investments eram os bancos regulamentados de mais alto nível que ofereciam custódia de ativos digitais.

No entanto, o interesse da Nomura na tecnologia blockchain não começou recentemente. Por exemplo, o projeto Komainu foi lançado pela primeira vez em maio de 2018, com o banco formando uma aliança japonesa de Blockchain no início de 2019.

Traduzido e adaptado de: bitcoinexchangeguide.com

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário